Jogos Sul-Americanos começam hoje com diversas provas já canceladas por falta de inscritos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Jogos Sul-Americanos começam hoje com diversas provas já canceladas por falta de inscritos

Demétrio Vecchioli

07 de março de 2014 | 07h00

Os Jogos Sul-Americanos começam nesta sexta-feira, em Santiago, com problema de falta de atletas. Exemplo claro vem do remo, uma das primeiras modalidades a competir – natação, caratê, handebol e esqui aquático também têm provas antes da Cerimônia de Abertura, que será de noite. Em outras modalidades, como a luta, atletas da seleção brasileira estão deixando de viajar por falta de rivais, ainda que as competições ainda sigam no calendário oficial.

Quando anunciou a convocação para os Jogos, a Confederação Brasileira de Remo (CBR) listou 17 atletas com a expectativa de que 13 das 14 provas olímpicas fossem disputadas, além do single skiff peso leve feminino, em que Fabiana Beltrame já foi campeã mundial. Por falta de inscritos, só sete provas (metade do previsto) serão realizadas em Viña del Mar – e não Santiago.

Como havia a necessidade de cinco barcos por prova, foram canceladas as disputas do double skiff peso leve e do double skiff, ambos no feminino. Bianca Miarka, Beatriz Cardoso, Vanessa Cozzi e Vitória Blanes, convocadas, nem viajaram. A delegação feminina acabou ficando restrita a Fabiana Beltrame, que competirá em duas provas. Assim, nenhum dos novos nomes da seleção poderá ser testado.

Depois que os barcos brasileiros já estavam a caminho do Chile, ainda foi cancelada a prova de quatro sem peso leve.  Marcos de Oliveira, Thiago Almeida, William Giaretton e Célio Amorim, convocados, também ficaram de fora da viagem.

Das sete provas que serão disputadas, em quatro só há o mínimo de cinco barcos inscritos. No fim, a delegação brasileira tem meros nove atletas. Quase metade do que o previsto.

COBERTURA – O blog não estará no Chile. A cobertura será em cima de resultados, basicamente ao fim de cada dia. Pela manhã, um post sobre o que esperar a competição. À noite, o que aconteceu – mas só nos esportes olímpicos.

Como é de praxe por aqui, vale o desempenho e não o ouro/prata/bronze. Em algumas modalidades, ganhar é obrigação (sim, obrigação). Em outras, um pódio já será motivo de festa. De forma geral, não há nenhum argumento para o Brasil não liderar o quadro de medalhas com enorme folga.

NATAÇÃO COMEÇA HOJE – De forma geral, o Brasil vai dominar a natação. Não vai bater recordes porque os atletas estão em fase inicial de preparação para a temporada. De qualquer forma, o Sul-Americano é importante para tomada de índices para o Pan-Pacífico, que acontece no meio do ano. É difícil apostar, mas acho que uns seis índices estaria de bom tamanho.

São oito finais neste primeiro dia, com as eliminatórias a partir das 11h30 locais e disputa por medalhas começando às 19h. O Brasil tem obrigação de ouro nos 100m peito (Felipe Lima), 200m costas (Leonardo de Deus) e 100m borboleta (Etiene Medeiros). Também é favorito nos 200m livre (Nicolas Oliveira) e 4x200m feminino. Nas provas de meia distância (800m masculino e 400m feminino), uma prata está de bom tamanho. Aposto em 11 medalhas, de 15 possíveis. Cinco de ouro.

CARATÊ, ESQUI AQUÁTICO – Não entram no escopo do blog.

REMO – Só uma prova nesta sexta, no double skiff masculino. Brasil deve garantir medalhas (não hoje, que é só eliminatória) com Diego Nazário e Ricardo Gomes. No total, são sete de ouro em jogo até domingo. Duas de ouro e quatro no total está de bom tamanho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.