As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Kaniesky bate recorde e salva Brasil na Copa do Mundo

Demétrio Vecchioli

21 de outubro de 2013 | 18h47

Passadas cinco etapas da Copa do Mundo de Natação, o Brasil ainda não levou levou seus melhores nadadores e ainda não mostrou muita coisa de relevante. Pela CBDA, só Henrique Rodrigues competiu e não ganhou medalha. O destaque, até aqui, foi Lucas Kaniesky.

O atleta do Minas competiu em Moscou e bateu o recorde sul-americano dos 1.500m em piscina curta, dele mesmo, com 14min44s66, baixando em quase um segundo a marca feita por ele no Mundial de Dubai, há três anos. Um dia antes, Lucas havia faturado o bronze nos 400m, com 3min44s75.

Ainda em Moscou, numa prova com bons nomes, como o sul-africano Chad Le Clos, Henrique Rodrigues foi apenas o quarto, com 1min56s54. Ele ainda foi quarto nos 100m medley e sétimo nos 100m costas.

Melhor fez Frederico Veloso. Ex-nadador da Davie (equipe do coach Alex Pussieldi) e do Flamengo, ele agora treina sozinho em São Luis (Maranhão), montando seus próprios treinos. Mesmo assim conquistou bronze nos 200m borboleta em Dubai, atrás apenas dos medalhistas de ouro e prata no Mundial. O brasileiro, porém, foi quase cinco segundos mais lendo que Chad Le Clos, com 1min54s91.

Ainda em Dubai, Lucas Kanieski, foi quinto dos 1500,  com 14min49s62.  A também fundista Carolina Bilich terminou em nono nos 800m livre, com 8min50s86.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: