Norte-americanas desistem e ex-ginastas ficam a um passo de Sochi
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Norte-americanas desistem e ex-ginastas ficam a um passo de Sochi

Demétrio Vecchioli

23 de janeiro de 2014 | 02h20

Era 3 de julho quando a Agência Estado noticiou, em primeira mão, que Laís Souza era uma das convocadas para, em seis meses, tentar aprender a esquiar e se classificar para os Jogos de Inverno de Sochi. A duas semanas do início da Olimpíada, não somente a ex-ginasta, mas também Josi Santos (outra que é ex-ginasta) está à beira de conseguir a vaga.

A classificação depende da desistência da Bielo-Rússia de levar pelo menos duas das quatro atletas a que tem direito. Nesta quarta-feira, os bielo-russos apresentaram a equipe que vai para Sochi com somente uma atleta no esqui aerials. O presidente da federação local de esqui disse que a lista pode aumentar. Mas ponderou que o técnico é contra. (PS: A notícia está em russo e tive que confiar no Google Tradutor).

ENTENDA – A Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) foi muito astuta (para não dizer malandra) nessa jogada. Conhecendo o esporte de inverno, sabia que sobravam vagas e faltava gente no aerials, prova do esqui freestyle em que os atletas descem uma longa rampa, realizam uma acrobacia, e são avaliados por ela.

Conforme já era previsto, só dez países tentaram classificar atletas para Sochi. Ficaram com vagas Austrália, China, Rússia, Ucrânia, Estados Unidos (cada uma com quatro, o limite), Casaquistão (duas), Bielo-Rússia, Canadá e Suíça (uma cada). Na lista de espera, três bielo-russas e duas brasileiras, nessa ordem. E só.

Porém, cada país pode levar um máximo de 26 atletas no esqui freestyle e Estados Unidos e Canadá, que extrapolaram esta cota, eram obrigados a realizar cortes. Os EUA escolheram levar apenas duas atletas do aerials (lista aqui), enquanto o Canadá cortou sua única classificada (lista aqui).

Com os três cortes, abriram três vagas para a lista de espera. Essas são da Bielo-Rússia, que apresentou sua equipe nesta quarta-feira com apenas uma atleta do esqui aereals, como pode ser visto aqui.

Depois que EUA e Canadá oficializarem à Federação Internacional de Esqui (FIS) qual delegação levarão, avisando que abrem mão das vagas no aerials, a Bielo-Rússia receberá o convite para levar mais três atletas. Caberá aos europeus decidir se vale a pena ter atletas jovens (de 16 e 17 anos) competindo só pra cumprir tabela.

Se desistir de uma vaga, ela será de Laís Souza, que ficou melhor ranqueada que Josi Santos no ranking olímpico. Caso a Bielo-Rússia abra mão de duas vagas, Josi também entra. Caso decida levar uma atleta só, entram as duas brasileiras e uma vaga fica desocupada por falta de interessados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: