As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Maria Clara e Carol ganham primeiro Grand Slam e se consolidam entre as melhores

Demétrio Vecchioli

26 de agosto de 2013 | 03h15

Antes tida como uma dupla que sempre pecava na hora H, Maria Clara e Carol entraram de vez no hall das melhores do mundo nesta temporada. E a consolidação do novo status veio neste domingo, com o título do Grand Slam de Moscou. A conquista é a primeira delas em um Grand Slam (a segunda no Circuito) depois de dez anos de dupla.

Até 2011, as irmãs nunca haviam sequer subido ao pódio no Circuito. Carol se afastou para ter filho, voltou nesta temporada, e a dupla mudou da água para o vinho. Só nesta temporada já foram cinco pódios: dois bronzes, duas pratas (ambas perdendo para Talita/Taiana na final) e agora o primeiro ouro.

Não à toa, as duas irmãs Salgado irão aparecer no terceiro lugar do ranking mundial assim que a lista for atualizada. E só estarão atrás das alemãs Semmler/Holtwick porque estas jogaram número maior de etapas, participando do Circuito Europeu.

Maria Clara e Carol salvaram (e muito bem salvo) a desempenho brasileiro na chave feminina em Moscou. Parecia que seria o contrário. Afinal, as irmãs perderam os dois primeiros jogos na fase de grupos e só avançaram para a repescagem nos detalhes. Quando o mata-mata começou, foram precisas. Diferente das outras duplas, que passaram invictas da fase de grupos.

No mata-mata, deu tudo errado. Talita/Taiana, melhor dupla de temporada, caiu diante de Menegatti/Orsi Toth, da Itália, nas oitavas, num surpreendente 2 a 0. Na sequências, as italianas venceram também Ágatha/Maria Elisa, num jogo parelho. Lili/Bárbara Seixas parou nas oitavas, para uma parceria da Austrália.

Até aqui, quando o Circuito Mundial tem uma pausa e começa o Circuito BB, a melhor dupla brasileira é Talita/Taiana, com cinco ouros e um bronze (5/0/1). Maria Clara/Carol têm 1/2/2. Lili/Bárbara Seixas faturou o bronze no Mundial e, no total, tem duas pratas e um bronze (0/1/2) A pior dupla é Ágatha/Maria Elisa, com uma única medalha de prata.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: