Medalhista no Mundial, ele largou o tae kwon do para ser jogador de pôquer
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Medalhista no Mundial, ele largou o tae kwon do para ser jogador de pôquer

Demétrio Vecchioli

24 Outubro 2016 | 10h44

Guilherme Dias-750

Medalhista de bronze no Mundial de Tae Kwon Do de 2013 na categoria até 58kg, Guilherme Dias era apontado como o grande do Brasil na modalidade para os Rio-2016. Brigando contra a balança, não conseguiu bater o peso nas seletivas de 2015 e 2016 e acabou ficando fora da Olimpíada. Nesse meio tempo, descobriu um novo esporte: o pôquer. Agora, abandona o tae kwon do para se dedicar à carreira nas cartas.

De acordo com o site Official Poker Ranking, o brasileiro, que joga sob a alcunha de Guialves27 no PokerStars, ganhou US$ 75 mil somente esse ano. Na cotação do dia, isso dá mais de R$ 230 mil. Profissional da equipe Step Team, onde tem aulas, ele fica com somente um terço do valor, mas não paga inscrições.

Não que a vida de atleta de tae kwon do fosse apertada. Depois da medalha no Mundial, Guilherme passou a ser atleta Bolsa Pódio, fazendo jus a uma bolsa mensal de R$ 15 mil do governo (em 12 meses, isso dá R$ 175 mil). Além disso, faz parte do programa de alto rendimento da Marinha, fazendo jus a um soldo de cerca de R$ 3 mil mensais.

Só que, no esporte olímpico de alto rendimento, não há outra opção de sobrevivência a não ser se manter no topo. E Guilherme não conseguiu isso. Perdeu diversas lutas para a balança. Em 2015, classificou o Brasil para o Pan e, na volta ao País, não conseguiu bater o peso na seletiva da seleção brasileira. No tae kwon do, há 10 quilos de diferença entre a categoria mais leve (até 58kg) e a segunda mais leve (até 68kg). Com cerca de 65kg, Guilherme precisava perder 7kg em cada competição.

Fora da seleção e, consequentemente, também do Mundial de 2015, ele não conseguiu vaga no Rio-2016 a partir do ranking olímpico. Depois, na seletiva olímpica nacional, desistiu no meio do processo de perda de peso, na véspera da competição.

“Desde quando não e classifiquei para os Jogos de 2016 estava afastados dos tatames, por motivo de desgaste de todo um ciclo vivido, com planos para voltar pós-Jogos. Mas algumas coisas me fazem hoje me aposentar dos tatames. Continuarei treinando tae kwon do como esporte ‘hobby’, mas não mais como um atleta profissional. Tenho novos planos na minha vida, agora como poker player”, anunciou o agora jogador, pelo Facebook.