Não é só vôlei e basquete: semana tem 5 Mundiais com brasileiros
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Não é só vôlei e basquete: semana tem 5 Mundiais com brasileiros

Vale a pena torcer pelos brasileiros no pentatlo moderno, no hipismo, ciclismo MTB, lutas e tiro esportivo. Tem brasileiro também na final da Copa do Mundo de Tiro com Arco.

Demétrio Vecchioli

04 Setembro 2014 | 00h05

O leitor/torcedor deve estar se divertindo esta semana torcendo pelo Brasil. Afinal, começaram nos últimos dias os dois Mundiais mais legais de se acompanhar (noves fora futebol): de basquete e vôlei masculino. Ainda mais porque, como se sabe, a seleção brasileira das duas modalidades é competitiva e disputa os Mundiais brigando por medalhas. No vôlei, de ouro. No de basquete, um pódio que não vem há mais de quatro décadas.

Esta é uma semana, aliás, para o Olimpílulas mostrar por que existe. A cobertura da mídia brasileira é contínua e competente com relação aos Mundiais citados. Mas não espere por muito espaço pelos outros cinco Mundiais que terão medalhas distribuídas pelo menos nos próximos sete dias: luta, hipismo, tiro esportivo, mountain bike e pentatlo moderno.

A semana vale como teste para 2016. Teste da capacidade de os esportes olímpicos de menor expressão de obterem espaço na mídia quando precisam disputar espaço com basquete e vôlei. Teste, também, da força olímpica do Brasil. Afinal, as cinco modalidades citadas, com exceção do hipismo, mais consolidado, estão em desenvolvimento no País. Exceto o MTB, todas podem dar medalha agora e em 2016.

HIPISMO – Os Jogos Equestres Mundiais começaram em 23 de agosto na Normandia, na França, com 11 modalidades, três delas olímpicas. O Brasil já foi último por equipes no adestramento e oitavo no CCE – o blogueiro estava de férias e não escreveu sobre. Agora, a disputa é nos saltos. A equipe abre a quinta-feira em quinto e tem chances reais de medalha (decisão sai hoje). No individual, três brasileiros seguem vivos na disputa do título, que será decidido no domingo.

MOUNTAIN BIKE – O Mundial começou na terça-feira, na Noruega, e segue até domingo, também. No eliminator (mais rápido), que não é olímpico, Luiz Cocuzzi foi 16.º. O cross country (olímpico) começa nesta quinta, com as provas júnior. O sub-23 é na sexta e a elite corre no sábado. A esperança brasileira é Henrique Avancini, que chega à Noruega como 20.º do mundo. Se conseguir um top15, já terá muito a comemorar.

PENTATLO MODERNO – Outro Mundial que já começou, em Varsóvia, na Polônia (onde também acontece o de vôlei). Na quarta rolou as eliminatórias femininas e Yane Marques por pouco não avançou à final. Larissa Lellys e Priscila Oliveira ficaram pelo caminho. Os homens fazem eliminatórias nesta quinta: Felipe Nascimento, William Muinhos, Danilo Fagundes e Luis Magno competem. As finais são, respectivamente, sexta e sábado. No domingo, acontecem as disputas (não olímpicas) por equipes.

TIRO ESPORTIVO – No sábado começa, na cidade espanhola de Granada (onde o Brasil joga no basquete), o Mundial de Tiro Esportivo. A competição, que se inicia pra valer na segunda, vai durar duas semanas e as esperanças do Brasil estão depositadas em Cássio Rippel, na carabina deitado. Ele não é favorito a medalha, mas não será nenhuma surpresa se conseguir.

LUTA – O Mundial começa na segunda-feira, em Tashkent, no Usbequistão, com a presença de apenas seis brasileiros: quatro mulheres e dois homens. Vale torcer por elas, principalmente por Joice Silva, que tem chances reais de medalha e perspectiva de, pelo menos, chegar às quartas de final. Aline Silva e Lais Nunes podem surpreender. No masculino, o Brasil não vence uma luta de Mundial há muitos anos.

TIRO COM ARCO – Não conta como Mundial, mas é quase isso. Em Lausanne (Suíça), no fim de semana, acontece a Super Final da Copa do Mundo de Tiro com Arco, reunindo apenas os oito melhores do ano. Marcus Vinicius D’Almeida está entre eles, uma vez que foi segundo no ranking da Copa do Mundo.