As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Olimpílulas da semana

Demétrio Vecchioli

28 de janeiro de 2014 | 23h52

Chegou o dia de mais um “Olimpílulas da Semana”, com tudo que de importante aconteceu, mas que não virou um post.

VÔLEI DE PRAIA – Foi definida a equipe que vai os Jogos Sul-Americanos. E, como fizeram outras confederações, a de vôlei também vai levar força máxima na praia. Irá com Alison/Bruno Schmidt, Pedro Solberg/Emanuel. Chance de as novas duplas mostrarem serviço pela seleção e de Pedro e Bruno jogarem pela primeira fez uma competição poliesportiva. No feminino, Taiana/Talita estão garantidas e a outra parceria será formada entre Lili e a garota Duda, que precisa de experiência internacional.

ATLETISMO – O Ibirapuera recebeu, sábado, o primeiro torneio do ano. Por ainda ser início de temporada, não dá para esperar grandes coisas. O primeiro bom resultado foi do são-roquense (ô terra boa!) Darlan Romani, no arremesso de peso. Ele venceu com 18,54m, mas bateu outras duas vezes em marcas semelhantes. Para se ter uma noção, só dois atletas fizeram marcas melhores em 2013. Darlan liderou o ranking com 20,08m.

Outra boa prova foi de Lucas Marcelino dos Santos, de apenas 18 anos, no salto em distância, com 7,81m, o melhor da carreira. Pelo ranking da Iaaf, seria o 14.º melhor da categoria no ano passado. Outro brasileiro, Higor Alves, um ano mais velho, liderou a lista com 8,02m.

VELA – Aconteceu em Recife o Brasileiro da Classe Laser Radial. A competição envolveu atletas homens e mulheres, mas como só elas estão no programa olímpico, falemos delas. Fernanda Decpnop (que tem o lindo nome de Demétrio no meio) levou a melhor sobre as irmãs Maria Cristina e Maria Carolina Boabaid. Odile Ginaid foi só a quarta.

No Brasileiro da Classe 420, não-olímpica e escola para a 470, vitória de Tiago Brito (17 anos) e Andrei Kneipp (18), campeões mundiais da juventude da 420. A dupla da Jangadeiros (RS) agora vai focar na campanha olímpica para a 470.

TIRO COM ARCO – Aconteceu no fim de semana a seletiva da modalidade para os Jogos Sul-Americanos. A primeira fase teve a chamada “Fita 144”, que considera a pontuação dos atletas em quatro distâncias do alvo: 90m, 70m, 50m, 40m no masculino, 70m, 60m, 50m e 30m no feminino. Mas, como me lembrou o Guilherme Costa, do Brasil no Rio, na Olimpíada a fase de classificação tem só os 70m.

De qualquer forma, Daniel Rezende bateu o recorde nacional, com 1.327 pontos, superando os 1.322 pontos de Marcos Bortoloto, que vinha desde 2005. O garoto Marcus Vinicius D’Almeida fez incríveis 1.316 e se aproximou do antigo recorde. No feminino, Sarah Nikitin fez 325 pontos na prova de 70m, apenas 10 a menos do que fez Daniel, que igualou o recorde brasileiro. Entre os homens, ela ficaria em terceiro.Marina Canetta, Ane Marcelle e Marcos Bortoloto também vão a Santiago.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: