As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Olimpílulas da Semana – Badminton, judô e tênis de mesa garantem Brasil no pódio

Demétrio Vecchioli

23 de fevereiro de 2015 | 02h24

Com o perdão do clichê, mas dizem por aí que o ano, no Brasil, só começa depois do Carnaval. No esporte olímpico, ainda que internacionalmente, o ritmo também é mais ou menos esse. Tanto que o fim de semana pós-Carnaval foi de muitos eventos, das mais diversas modalidades. Entre os resultados brasileiros, o destaque ficou, de longe, para a medalha de prata de Hugo Calderano e Gustavo Tsuboi no Aberto do Catar de Tênis de Mesa, disputado em Doha.

Os brasileiros ganharam cinco jogos, passando inclusive por adversários de alto gabarito, mas perderam na final de domingo (fiz um breve post depois do jogo). Foi só o terceiro torneio da dupla Calderano/Tsuboi, com a primeira medalha após duas idas às oitavas de final. A final foi a primeira de brasileiros em um evento de nível Super Series, mais alto grau do Circuito Mundial.

Na chave de simples, entretanto, ninguém foi longe. Calderano e Cazuo Matsumoto perderam na fase de 64avos de final para atletas de pior ranking. Tsuboi, o 44.º do mundo, até avançou da primeira rodada, mas ficou na segunda, também para um rival menos gabaritado. Caroline Kumahara ganhou um jogo e foi até a fase de 32avos de final.

Abaixo, como vai voltar a ser de costume todo início de semana, um resumo dos resultados esportivos do Brasil no fim de semana nos esportes olímpicos.

JUDÔ – O Estadão Conteúdo já fez cobertura diária do Grand Prix de Dusseldorf (Alemanha) e você pode ler os textos de sexta, sábado e domingo, todos do blogueiro/redator. Foram apenas duas medalhas na primeira etapa do ano no Circuito Mundial, em torneio de terceiro nível. Muito pouco para uma delegação de 22 judocas, sendo quatro atletas top (Sarah Menezes, Erika Miranda, Rafaela Silva, Leandro Guilheiro) e pelo menos cinco de muito bom nível (Eric Takabatake, Luciano Correa, Ketleyn Quadros, Mariana Silva e Walter Santos). Rafaela foi ouro na categoria até 57kg e Felipe Phelim, que volta à seleção aos 32 anos, bronze na até 60kg.

ATLETISMO – Fabiana Murer ficou com o bronze em Estocolmo (4,60m) e com a prata em Birmingham (4,70m) nas duas últimas participações dela na temporada indoor do salto com vara. Os resultados são expressivos e mostram certa regularidade da brasileira, que bateu o recorde sul-americano com 5,83m, no início do mês, e lidera o ranking mundial. Mas tanto na Suécia quanto na Inglaterra a vitória foi da grega Nikoleta Kiriakopóulo, que saltou 4,76m e 4,80m, respectivamente, batendo duas vezes seu recorte pessoal. É mais uma concorrente para Murer.

SALTOS ORNAMENTAIS – Vendo do ponto de vista do resultado, não chega a ser ruim o sétimo lugar de Cesar Castro no Grand Prix de Rostock (Alemanha) nos saltos ornamentais. Mas a nota 402,02 é equivalente aos 402,35 da Copa do Mundo do ano passado. Na ocasião, entre os melhores do mundo, Cesar Castro não passou da fase preliminar, em 20.º. Ian Mattos também competiu no trampolim em Rostock e foi 19.º, com 344,65 pontos. Já Hugo Parisi, com 289,80 pontos, foi 18.º na plataforma. O veterano teria sido último colocado na Copa do Mundo de 2014 – na ocasião, foi a semifinal com 408 pontos e quase pegou final.

BMX – Nono colocado do ranking mundial, Renato Rezende se saiu bem no Campeonato Norte-Americano de Inverno. No sábado, foi quarto colocado na final, que tinha, entre outros, os quatro melhores do mundo (mais o sétimo colocado da lista). Com os 35 pontos que somou, deve subir na acirrada briga pelo terceiro lugar (62 pontos o separavam do posto antes da competição). De acordo com a CBC, no sábado, Rogério Reis fez semifinal, Anderson Ezequiel foi até as quartas, mas Miguel Dixini ficou nas eliminatórias. Na sexta (a prova tem rodada dupla), Renato, Rogério e Miguel pararam nas quartas. Os quatro estão morando e treinando nos EUA.

BADMINTON – Começou relativamente bem a temporada 2015 para o badminton brasileiro, com sete medalhas no Aberto do Peru. É importante frisar, entretanto, que mesmo os melhores do continente não disputaram o torneio. No feminino, por exemplo, as duas principais cabeças de chave eram brasileiras (e elas são sexta e sétima melhores das Américas). No masculino, o primeiro e o quarto do ranking continental não competiram.

Dito isso: Daniel Paiola confirmou o favoritismo, aproveitou o tropeço do primeiro cabeça de chave e chegou à final. Ali, perdeu do guatemalteco Kevin Gordon, tradicional rival. Alex Tjong perdeu nas quartas de final. No feminino, tanto Fabiana Silva (bronze) quanto Lohaynny Vicente, principais favoritas, foram surpreendidas por turcas, as únicas europeias.

O Brasil ainda ganhou prata com Hugo Arthuso/Daniel Paiola e fez final nas duplas femininas. Lohaynny e Luana Vicente venceram Paula Pereira e Fabiana Silva. As duplas eram cabeças de chave 2 e 1, respectivamente.Por fim, nas duplas mistas, Alex/Lohaynny e Hugo/Fabiana foram bronze depois de perder de peruanos. Em ambos os casos, honraram o favoritismo.

BOXE – O fim de semana não foi bom para o boxe brasileiro. Pela ABP (Aiba Pro Boxing), Robenilson de Jesus perdeu do chinês Jiawei Zhang, na China, por decisão unânime. Pela WSB (World Series), Cosme Nascimento foi nocauteado pelo russo Arslanbek Mahmudov no primeiro assalto. O peso pesado defende  o Puerto Rico Hurricanes.

GOLFE – Empatado em 12.º, Adilson da Silva somou mais pontos no ranking mundial do golfe. O único brasileiro que hoje teria vaga nos Jogos do Rio/2016 foi bem no Hero Indian Open, um dos mais importantes do Tour Asiático, jogado neste fim de semana na Índia, e somou 1.964 pontos. Com leve subida no ranking, é o 325.º do mundo, o penúltimo na zona de classificação olímpica.

PENTATLO MODERNO – Yane Marques não começou nada bem a temporada da Copa do Mundo de Pentatlo Moderno, ficando apenas no 24.º lugar nos EUA. A pernambucana foi mal no hipismo (31.º de 36, prejudicada pelo animal), mas também não havia se destacado na esgrima (16.º)  e na natação (9.º). No combinado, acabou em 21.º.  Priscila Oliveira foi a 26.ª no geral. Larissa Lelly não avançou à final, mesma situação de Felipe Nascimento, Enrico Ortolani e Danilo Fagundes.

ESGRIMA – Renzo Agresta somou dois pontos no ranking mundial ao terminar no 43.º lugar a etapa de Varsóvia (Polônia) do Circuito Mundial no sabre. Com 69 pontos (sendo 30 do título pan-americano que terá que defender), ele é o número 24 do mundo.  Na disputa feminina, nenhuma brasileira ficou entre as 100 melhores. Pior: Giulia Gasparin, que fez financiamento coletivo, terminou em 165.º lugar entre 169 competidoras.

VÔLEI DE PRAIA – A CBV resolveu escalar a quinta mais importante dupla do País no feminino para jogar o fraco Circuito Sul-Americano nesta semana. Na Venezuela, Fernanda Berti/Taiana conquistaram o ouro, vencendo uma dupla da casa. Com três ouros e um bronze em quatro etapas, o Brasil lidera com folga o circuito. No masculino, Thiago/Oscar terminou em quinto e o Brasil perdeu a liderança geral para a Venezuela. Na soma dos dois naipes, doze duplas diferentes já jogaram uma vez cada pelo País na temporada.

MARATONAS – Marily dos Santos correu domingo a Maratona de Sevilha (Espanha) e obteve o quinto lugar. O mais importante, neste momento, entretanto, é fazer índice. Com  2h37min25s, ela se credencia para o Mundial de Pequim e para o Pan de Toronto. Também lidera o ranking nacional 2014/2015, que vai definir a lista brasileira para ambas as competições.

TAE KWON DO – Uma desorganizada delegação brasileira com atletas lutando pelos seus clubes (e não pela CBTKD) participou com sucesso do Aberto do Egito, no fim de semana, ganhando 11 medalhas. Os resultados podem (devem) ser relativizados pelo baixo número de competidores. Iris Tang só precisou vencer duas francesas para ser ouro na categoria até 46kg (não olímpica). Raphaella Galacho fez três lutas para ser campeã, também em categoria não-olímpica (até 73kg). O talentoso Venilton Teixeira (54kg) ganhou bronze com só uma vitória. Pessoalmente, ainda aguardo resultados em Mundial para elogiar a coleção de medalhas ganhas por brasileiros em eventos pequenos pelo mundo recentemente. 

OUTRAS MODALIDADES – Falo sobre o Mundial de Ciclismo de Pista em outro post. No tae kown do, Raphaela Galacho ganhou ouro em um evento no Egito, mas não achei maiores informações (resolvido). Bruno Matheus levou a Pan-American Cup em Barranquilla (Colômbia), válida para o ranking mundial do triatlo, mas o site da ITU não publicou o resultado ainda. Jorge Zarif levou o Brasileiro da Classe Finn, mas também não achei os resultados completos.

Tendências: