As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Olimpílulas da semana – Rebeca volta a dar provas de seu talento

Demétrio Vecchioli

11 de fevereiro de 2014 | 00h16

GINÁSTICA ARTÍSTICA – É impressionante a evolução de Rebeca Andrade. Está com 14 anos e consegue feitos incríveis na ginástica artística. Neste fim de semana, em Frisco (Textas), venceu uma competição juvenil forte com 57.600 no individual geral. Ok que era uma disputa de base, mas a nota foi para ser sexta colocada no Mundial adulto do ano passado. A nota do salto (15.400) a faria campeã da última etapa da Copa do Mundo (Glasgow) com 0.600 pontos de sobra.

Sério, Rebeca é extraordinária. No Texas, botou quase 2.000 pontos na vice-campeão britânica adulta. Foi ouro na barra assimétrica (14.100) e no salto, prata na trave (13.950) e no solo (14.150). Flávia Saraiva caiu das assimétricas e foi mal no salto. Acabou em quinto. Mas fez ouro na trave (14.100, mesma nota da campeã em Glasgow) e ficou em quarto no solo (14.050). Milena Theodoro ainda foi sexta no solo.

No adulto, o Brasil é fraco. Leticia Costa até ganhou o ouro no individual geral, com 53.500, e foi a melhor também no solo (13.000), mas nada que empolgue. Estreantes, Isabelle Cruz e Julie Kim Sinmon também não mostraram grandes resultados.

CICLISMO MTB – A temporada internacional começou muito bem para o Brasil. Competindo por suas equipes, os brasileiros deram um baile nos chineses em Santiago, em prova que vale pontos para o ranking mundial. No masculino, Henrique Avancini botou mais de 6 minutos de folga (numa prova de uma hora e meia) sobre Rubens Donizete. Sherman Treza foi o terceiro. Depois, um monte de chileno. No feminino, Raiza Goulão em primeiro, também com sobras (cinco minutos) e Roberta Stopa em terceiro. Uma chilena ficou entre elas.

CICLISMO PISTA – É difícil dizer o tamanho da evolução da seleção brasileira de pista que está treinando na sede da UCI (União Ciclística Internacional), em Genebra (Suíça). Mas pelo menos caiu mais um recorde nacional. Desta vez na velocidade por equipes, com 45s305, abaixando em 547 centésimos o antigo recorde brasileiro de 45s852. Flavio Cipriano, expoente da modalidade no Brasil hoje, foi acompanhado de Diefferson Borges e Kacio Freitas.

ESGRIMA – O fim de semana teve muitos brasileiros competindo pela Europa e o primeiro bom resultado da temporada, com Renzo Agresta, que estreou em 2014 no 14.º lugar no Villa de Madrid, na Espanha, no sabre. Ficou invicto na poule (fase de classificação), mas perdeu nas oitavas de final do campeão mundial. Ainda em Madri o Brasil teve Tywilliam Guzenski (132.º) e Willian Zeytounlian (179.º).  Por equipes, foi 21.º

Em Dakar (Senegal), Marta Baeza foi 83.ª no sabre. Em Budapeste (Hungria), no florete, Tais Rochel acabou na 107.ª posição, com Gabriela Cecchini em 121.º.Em Leipzing (Áustria), Bianca Dantas em 149.º, Cleia Guilhon em 160.º, Rayssa Costa em 196.º e Marina Tello, na 208.ª posição, representaram o Brasil na espada. Ainda ficaram em 17.º por equipes. Resultado ruim na arma que o País terá equipe completa no feminino em 2016.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.