As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ouro no Pan, atirador brasileiro comemorou vaga, mas não vai à Olimpíada

Demétrio Vecchioli

13 Agosto 2015 | 17h07

Ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, Julio Almeida comemorou a vaga olímpica conquistada na pistola 50 metros. O Comitê Olímpico do Brasil (COB), a Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE) e o Ministério do Esporte também celebraram o classificação, mas não era bem assim. Julio não vai à Olimpíada do Rio, no ano que vem.

O atirador, de 46 anos, na verdade não obteve vaga pelo Pan. Uma credencial foi distribuída na prova em Toronto, mas ela ficou com Marko Carrillo, do Peru, medalhista de bronze. Isso porque Julio Almeida, apesar da medalha de ouro, não obteve, na fase de classificação, um índice técnico mínimo para fazer jus à vaga olímpica. Precisava ter feito ao menos 540 pontos, mas parou em 539.

A CBTE só foi avisada depois pela federação internacional, mas nem tudo estava perdido. Julio ainda poderia obter a vaga olímpica pela etapa da Zabala da Copa do Mundo de Tiro Esportivo, que está acontecendo no Azerbaijão. Mas, lá, não conseguiu sequer se classificar à semifinal. Ficou no 24.º lugar da sua série na fase de classificação, com 535 pontos.

Julio, de 45 anos, era uma das principais esperanças de um bom resultado do Brasil no tiro esportivo da Olimpíada. No ano passado, foi 11.º colocado no Mundial e vice-campeão do Campeonato Pan-Americano, que distribuía vaga só ao campeão. Tem resultados melhores do que a maioria dos brasileiros que vai à Olimpíada.

Nesta quinta-feira, sua última possibilidade de conquistar vaga na Olimpíada foi por água abaixo na prova de pistola de ar 10 metros, em que ficou no 84.º lugar – campeão no Pan, Felipe Wu terminou apenas na 63.ª colocação.

Na Olimpíada, ainda que tenha se classificado para somente uma prova, um mesmo atirador pode participar das demais da mesma disciplina, desde que não seja superado o limite de dois atletas do mesmo país por prova. Assim, Julio poderia disputar a pistola 50m (sua especialidade) se conquistasse vaga na pistola de ar 10m.

Encerrados os oito eventos pré-olímpicos dos quais o Brasil poderia participar nas provas masculinas de pistola, o País só tem duas vagas. Felipe Wu deverá ser beneficiado na pistola de ar 10m, uma vez que foi o responsável pela conquista da vaga como campeão do Pan. Já pistola de tiro rápido 25 metros, Emerson Duarte tem tudo para herdar o convite dado ao país-sede – foi nono colocado no Mundial do ano passado.

INSUCESSO – O Brasil recebeu nove convites para as competições de tiro esportivo dos Jogos Olímpicos do Rio e, até agora, não conseguiu classificar nenhum atleta extra. As duas únicas vagas vieram em provas para as quais o Brasil já tinha convite, que foram, assim, cancelados.

Já é certo que o País não conseguiu vagas na carabina de ar 10m masculina, na carabina três posições feminina e na pistola 25m feminina, além da pistola 50m masculina, já citada. Na fossa double masculina, prova do tiro ao prato, a classificação só virá se um brasileiro foi campeão ou vice do Mundial, em setembro, na Itália. Mas o melhor do País em Gabala foi só 34.º colocado.

Assim, a tendência é que o Brasil seja representado por apenas nove atletas na Olimpíada, sendo que apenas dois teriam direito à vaga pelos critérios universais. É um desempenho igual ao de Londres-2012 (dois atletas) e pior do que Pequim-2008 (três).

Na maioria das provas em que vai por convite, o Brasil está mal no ranking mundial: carabina de ar 10m feminina (Rosane Ewald é 212.ª), pistola de ar 10m feminina (não há brasileiras no ranking), skeet masculino (não há brasileiros no ranking), fossa olímpica feminina (Janice Teixeira é 47.ª) e Skeet feminino (Daniela Carraro é 80.ª). As exceções são Emerson Duarte (25.º na pistola de tiro rápido 25m) e Rodrigo Bastos (23.º na fossa olímpica).

CONFIRA A SITUAÇÃO DO BRASIL NAS PROVAS OLÍMPICAS DO TIRO:

Carabina Três Posições Masculino – Três brasileiros competem a partir desta quinta-feira em Gabala em busca de duas vagas
Carabina Deitado Masculino – Cassio Rippel se classificou como campeão do Pan, mas o Brasil tinha convite
Carabina de Ar 10m Masculino – Brasil não irá à Olimpíada
Carabina Três Posições Feminino – Brasil não irá à Olimpíada
Carabina de Ar 10m Feminino – Brasil tem convite, mas nem levou atletas a Gabala

Pistola 50m Masculino – Brasil não irá à Olimpíada
Pistola de Tiro Rápido 25m Masculino – Emerson Duarte foi 26.º em Gabala e deve ser beneficiado pelo convite
Pistola de Ar 10m Masculino – Felipe Wu se classificou como campeão do Pan, mas Brasil tinha convite.
Pistola 25m Feminino – Brasil não irá à Olimpíada
Pistola de Ar 10m Feminino – Brasil tem convite, mas nem levou atletas a Gabala

Fossa Olímpica Masculina – Brasil tem convite
Fossa Double Masculina – Felipe Fuzaro foi 34.º em Gabala e agora precisa ser campeão ou vice no Mundial
Skeet Masculino – Renato Portella foi 84.º em Gabala e deve ser beneficiado pelo convite
Fossa Olímpica Feminina – Brasil tem convite
Skeet Feminino – Brasil tem convite

Mais conteúdo sobre:

Tiro Esportivo