As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Poliana e Ana Marcela: ouro e prata para o Brasil em Barcelona

Demétrio Vecchioli

23 de julho de 2013 | 11h58

Poliana e Ana

Se no masculino o forte da natação brasileira são as provas de velocidade, no feminino o País agora é soberano nas de resistência. Nesta terça-feira, Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha fizeram história ao conquistarem, respectivamente, ouro e prata nos 10km, distância olímpica da maratona aquática, durante o Mundial de Esportes Aquáticos que acontece em Barcelona.

No sábado elas já haviam conquistado prata e bronze na prova de 5km. E Ana Marcela Cunha ainda é favorita para conquistar o bicampeonato na prova de 25km. É pouco? A baiana lidera o ranking do Circuito Mundial da Fina.

Tudo isso depois de uma enorme frustração nos Jogos de Londres. Poliana e Ana Marcela já estavam entre as melhores do mundo, mas só a então corintiana pôde ir para a Olimpíada (a única chance de levar duas atletas por país era se ambas ficassem entre as 10 primeiras do Mundial de Xangai, mas Ana terminou em 11º). Poliana chegou à capital inglesa como favorita, mas teve um choque térmico, saiu da água fria carregada, e viveu uma dolorosa frustração.

Já no primeiro ano do novo ciclo olímpico elas deram a volta por cima. Poliana deixou o Corinthians e acertou com o Minas. Ana Marcela trocou a Unisanta, onde estava há um bom tempo, pela nova equipe do Sesi. Decisões arriscadas “(principalmente da baiana), mas que deram resultado.

A dobradinha, porém, não foi por acaso, como conta Poliana: “Tracei uma estratégia com o meu técnico (o marido Ricardo Cintra) que foi não ficar muito atrás. Nos últimos 500 metros tudo pode acontecer e o exemplo foi a prova masculina de 10 quilômetros no dia anterior. Então, quando vimos que estávamos as duas na frente, nadamos muito forte e fizemos uma espécie de parede, de bloqueio para que ninguém passassem por nós, o que já tentamos antes e não tinha funcionado”

Agora Ana Marcela: “Sabíamos que todo o pódio dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 estava aqui, então tentei ficar na frente um pouco antes do que costumo. É claro que todo mundo quer ganhar a prova, mas chega um momento que temos que garantir o pódio. E foi isso que fizemos.” Ana bateu 0s3 atrás de Poliana, depois de nadar ao seu lado todo o sprint final, fechando a porta para as adversárias.

E para tornar ainda mais difícil a prova, a campeã olímpica Eva Risztov (Hungria), a bicampeã mundial Keri-Anne Payne (Grã-Bretanha), entre outras, não nadaram os 5km e estavam descansadas para a prova desta terça, que contou com todos os grandes nomes da modalidade.

Novamente Poliana: “Estou muito empolgada. Eu tenho treinado por essa medalha, inclusive na água fria, então essa medalha é preciosa. Estou realmente feliz de ganhar minha segunda medalha nesse Mundial. Eu me senti forte durante a prova”, disse ela, que superou o desempenho que teve no Mundial de Maratonas Aquáticas de 2006, quando faturou duas pratas – agora a competição acontece no Mundial de Esportes Aquáticos. Com mais uma medalha conquistada em 2009 e as duas deste ano, chegou a cinco na história, mulher brasileira mais laureada em Mundiais olímpicos.

“É incrível ganhar duas medalhas nesse Mundial. Isso mostra como o Brasil trabalha sério. Dois anos atrás eu terminei em 11º e não pude competir em Londres. Assisti pela TV. Eu fui trabalhar e melhorar muito. Hoje eu sou a segunda melhor do mundo. apenas atrás de outra brasileira. No Mundial de Kazan/2015 eu quero terminar enter as 10 primeiras assim poderei representar meu país na Olimpíada em casa. Eu agora preciso relaxar antes dos 25km”, disse Ana Marcela Cunha, em declaração reproduzida pelo site da Fina.

À CBDA, Poliana desabafou: “Depois dos Jogos Olímpicos foi muito difícil. Muita gente queria me aposentar e o fator psicológico foi o que pesou mais. Eu estava muito bem preparada para Londres e ter que abandonar a prova foi doído demais. Este ouro nos 10 quilômetros é um recomeço”

A momento é tão bom que até no masculino o Brasil está bem, tendo sido sétimo nos 10km com Allan do Carmo e sexto com Samuel de Bona nos 5km. Sábado Ana Marcela nada os 25km cansada, mas mesmo assim quer o título. Na quinta-feira tem a prova por equipes, com Poliana, Samuel e mais um: (Luis Rogério Arapiraca ou Allan do Carmo).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.