As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Primeira etapa do Circuito BB mostra que Juliana e Márcio merecem espaço

Demétrio Vecchioli

03 de setembro de 2013 | 12h55

Taiana e Talita Recife

A primeira etapa do Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia, realizada no último fim de semana, em Recife (PE), mostrou que, tanto no feminino quanto no masculino, a seleção brasileira tem 90% dos melhores nomes da modalidade. Mas que dois medalhistas olímpicos merecem chance de lutar em igualdade de condições com os demais postulantes a uma vaga nos Jogos do Rio/2016 durante o ciclo.

No feminino, Juliana precisa fazer as pazes com a CBV e voltar à seleção. Mesmo praticamente sem jogar desde o começo do ano, a dupla dela com Maria Elisa terminou em terceiro em Recife, perdendo na semifinal para Taiana/Talita, melhor do mundo no momento, mas vencendo as atuais campeãs brasileiras Ágatha/Bárbara Seixas na decisão do bronze.

Outra que precisa se entender com a CBV é Rebecca. A jovem promessa do vôlei de praia brasileiro voltou a se unir a Lili e terminou com o vice-campeonato em Recife. Na final, vitória convincente de Taiana/Talita.

Das cinco principais duplas brasileiras, ficou faltando na semifinal Maria Clara/Carol. As irmãs venceram Taiana/Talita na fase de grupos, mas perderam nas quartas de final, numa partida decidida em três sets, o último deles com parcial de 31/29. Poderia ter dado qualquer uma das duas.

Duda/Thaís, dupla da seleção de base, chegou até as quartas, assim como Val/Ângela, Josi/Raquel. No grupo mais equilibrado, acabou sobrando Elize Maia/Fernanda Berti, dupla reserva (quinta) da seleção.

MASCULINO – Entre os homens, a grande ausência na seleção é Márcio. Medalhista de prata (com Fábio Luiz) nos Jogos de Pequim/2008, o veterano de 39 anos voltou a se juntar a Ricardo (38) e chegou à final da etapa de Recife. Na decisão, porém, o título ficou com Alison/Emanuel, numa partida decidida em três sets.

A etapa teve só uma surpresa: a eliminação dos atuais campeões do Circuito, Bruno Schmidt e Pedro Solberg, para Bruno/Hevaldo, nas quartas de final. A outra dupla da seleção, Evandro/Vitor Felipe, terminou na terceira posição. Álvaro Filho, parceiro de Ricardo no Circuito Mundial, decidiu não jogar em Recife ao lado de Edson Filipe.

Com o troca-troca de duplas (muito mais acentuado que no feminino), fica mais difícil uma análise, apenas por resultados, de quem merece um espaço na seleção. Às quartas de final também chegaram Benjamin/Fernandão, Rodrigo Saunders/Daniel Souza e Moisés/Gilmário.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.