As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Renato Rezende fica em sexto na Copa do Mundo de BMX

Demétrio Vecchioli

21 de abril de 2013 | 11h03

Renato RezendeO momento realmente é outro no ciclismo brasileiro. Depois do excelente resultado de Henrique Avancini no MTB semana passada, dessa vez foi no BMX que veio um desempenho de alto nível, com Renato Rezende, sexto colocado entre os mais de 130 competidores que participaram, em Manchester, da primeira etapa da Copa do Mundo de BMX, evento organizado pela UCI.

“Estou muito feliz, não tenho palavras para descrever minha felicidade. Estamos mostrando para o mundo inteiro que o BMX do Brasil esta evoluindo a cada dia que passa. Se depender de dedicação e força de vontade, estaremos no Rio/2016 com força total”, comemorou Renato Rezende, pela assessoria da CBC.

O Brasil foi com 13 competidores, sendo nove meninos e quatro meninas. Renato, grande nome do País na modalidade, terminou a final em sexto. Prova do alto nível da competição: três finalistas olímpicos largaram com ele.

Mas Renato foi o único brasileiro a passar entre os 32 que foram às quartas de final. Numa etapa antes saíram Igor Martins (oitavo na sua chave), Miguel Dixini (em sexto) e Rogério Reis (quinto). Só os quatro primeiros de cada uma avançavam. Nas tomadas de tempo, Renato havia sido o nono mais rápido. Igor, o 31º.

Leandro Miranda (74º), Ezequiel Souza Filho (83º), Vitor Pereira (103º), Allan Victor (122º) e Gustavo Mesquita (136º) não passaram pelo corte de 64. Ezequiel, Vitor e Gustavo viajaram por conta e não pela seleção brasileira como os demais.

No feminino, as melhores brasileiras pararam nas quartas de final. Priscila Carnaval (16º) e Bianca Quinalha (22º) foram as únicas a avançar da tomada de tempo que selecionou as 32 melhores. Elas participaram depois da mesma chave, uma em quinto, outra em sexto. A garota Joanna Silva (17) foi a mais lenta das que completaram a tomada, em 34º. Thaynara Morosini (18), também júnior, não marcou tempo.

A Copa do Mundo da UCI tem pistas do mesmo padrão olímpicos, com gates de largada extensos, diferente do BMX praticado no Brasil. A competição tem quatro etapas, sendo a próxima na Argentina, daqui a três semanas.

São cinco fases no masculino. Primeiro todos fazem tomada de tempo, que define a posição e a série de largada de cada um. Nas oitavas, são três largadas para cada chave de oito ciclistas. A vitória vale 1 ponto. O último ganha 8. Os quatro que somarem menos pontos avançam. Depois, é largada única, com os quatro melhores avançando à semifinal, o que se repete na final. Em Manchester, por conta do número de inscritos, no feminino o modelo de três largadas foi já nas quartas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.