As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Renzo Agresta quebra tabu e fatura, no Pan, seu primeiro título internacional

Demétrio Vecchioli

21 de junho de 2013 | 00h07

Renzo agresta tem muito o que comemorar

Renzo agresta tem muito o que comemorar

O Brasil conquistou quatro medalhas no Campeonato Pan-Americano de Esgrima, que está acontecendo em Cartagena, na Colômbia. Mais famoso esgrimista brasileiro, Renzo Agresta obteve o melhor resultado: o ouro no sabre masculino. A equipe masculina de florete terminou com a prata, enquanto Cleia Guilhon foi bronze na espada. Por equipes, a espada feminina também foi prata.

O resultado de Renzo merece destaque porque ele é o 40º do ranking mundial, o sétimo do continente. Mas o brasileiro surpreendeu Joseph Polossifakis (Canadá), que é o número 14, Daryl Homer (EUA), sétimo do mundo, e um outro americano na decisão. Este é o primeiro título internacional da carreira de Renzo. Nas últimas três edições anuais do Pan ele foi duas vezes quinto colocado e uma vez terceiro (2011).

No individual feminino, o melhor resultado brasileiro foi na espada. Cleia Guilhon terminou com o bronze, enquanto Rayssa Costa ficou em sexto e Amanda Simeão em 14º. Para se ter uma noção de como o resultado é expressivo: nos últimos quatro anos, Cleia somou 32 pontos no ranking mundial. Com o bronze, ganhou 30. Ela é a número 132 do mundo, enquanto Amanda aparece em 77 e Raysa em 84º lugar.

Por equipes, bom resultado só no florete masculino, em que o Brasil já entrou como segundo cabeça de chave e ficou com a prata. Na espada, os homens ficaram em 10º. As mulheres terminaram em sétimo no sabre e em quinto no florete. 

Principal revelação da esgrima brasileira, Guilherme Toldo (20 anos) terminou em sétimo no florete. enquanto João Antonio Souza foi o 10º, Heitor Shimbo o 14º e Fernando Scavasin o 18º. Por equipes, vale lembrar, o Brasil foi prata (perdeu dos EUA).

Medalhista no Mundial Cadete, Gabriela Cecchini foi a melhor brasileira no florete, em 17º, seguida de Tais Rochel (18º). Silvia Rothfeld (26ª) também parou após uma vitória. Para Gabriela, os seis pontos conquistados na Colômbia são seus primeiros no ranking mundial. No sabre, Marta Baeza (18ª), Karina Lakerbai (22ª) e Elora Ugo (19ª) caíram na segunda rodada. 

No sabre masculino o Brasil ainda teve Tywilliam Guzenski (13º) somando 12 pontos. Na espada, Nicolas Ferreira (17º), Richard Grunhauser e Ivan Baumgartner (28º e 29º) somaram pontos.

Neste sábado o Pan termina com as disputas da espada feminina e do sabre masculino, exatamente as categorias em que o Brasil teve seus melhores resultados no individual.

Nos Jogos de Londres o país da casa teve direito a oito atletas, que podia distribuir da forma que quisesse. O problema para o Brasil é que, a se manter o rodízio de disputas por equipes, o sabre masculino vai ficar de fora. No feminino deve sobrar o florete.

Tendências: