Rúbgi sevens joga para seguir sonhando com a elite
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Rúbgi sevens joga para seguir sonhando com a elite

Demétrio Vecchioli

17 de janeiro de 2014 | 19h55

A seleção brasileira masculina de rúgbi sevens (Tupis) começa a decidir sua vida neste sábado. A equipe está em Viña Del Mar, no Chile, para a disputa do Seven Viña 2014, torneio que vale como seletiva da seletiva para o Circuito Mundial do ano que vem. Bastam duas derrotas no sábado para o Brasil ficar fora da elite da modalidade mais uma vez em 2014/2015. Um prejuízo enorme para uma seleção que precisa evoluir para não fazer feio nos Jogos do Rio/2016.

Funciona assim: a World Series (que chamo de Circuito Mundial) é jogada por 16 países, em nove etapas.  Em alguma delas, participam convidados. Para ter direito ao passaporte para toda a temporada, é preciso vencer o Hong Kong Sevens, torneio que será realizado em março. E para chegar à Ásia é preciso ficar entre os dois melhores no Chile. Dos países sul-americanos, só a Argentina tem vaga garantida na World Series. Por isso, ela é café com leite no Seven Viña – está lá em busca do título, com seu time B, mas não briga pela classificação.

No sevens, diferente da versão tradicional, de 15 jogadores, as partidas são rápidas, de menos de 20 minutos. No sábado, o Brasil joga contra Paraguai (18h50 locais) e diante do Uruguai (20h30). Precisa vencer um dos dois adversários para avançar à segunda fase.

O Portal do Rugby fez um levantamento dos últimos confrontos. O Brasil venceu o Uruguai nos Jogos Mundiais, em Cali, no ano passado, mas vinha de nove derrotas e um empate nos últimos 10 jogos. No Rio Sevens (que serviu como seletiva para Hong Kong no ano passado), foram duas incontestáveis vitórias uruguaias. Já o Paraguai foi vencido ano passado pelo Brasil, mas tinha histórico favorável. Depois, no segundo semestre, ganhou do Uruguai. Ou seja: tende a ser um jogo equilibrado, também.

Se avançar, o Brasil faz mais três jogos no quadrangular final, domingo, contra os dois primeiros colocados do outro grupo (provavelmente Argentina e a Chile) e a outra equipe que avançar da sua chave. Os jogos estão programados para acontecer entre 15h25 e 20h30 locais em Viña del Mar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: