As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sarah para em mogol, mas ganha bronze com ippon no último segundo

Demétrio Vecchioli

26 de agosto de 2013 | 18h19

Sarah

Sarah Menezes não ganhou a medalha de ouro que se esperava dela no Mundial de Judô do Rio, mas o bronze conquistado nesta segunda-feira teve um gostinho especial. Ele veio no último golpe, quando o cronômetro apontava um segundo para o fim dos cinco minutos regulamentares de luta contra a norte-coreana Sol Mi Kim.

Até aquele momento, a luta estava empatada. Sarah Menezes levou as duas primeiras punições, a asiática se fechou, mas também foi advertida duas vezes. A igualdade levaria a luta para o golden score, mas Sarah conseguiu um ippon inesperado, levantando a rival do chão e jogando-a de costas no tatame para o delírio da torcida.

Ao conquistar o bronze no Rio, Sarah Menezes, piauiense de apenas 23 anos, chegou à sua terceira medalha seguida em Mundiais, a terceira bronzeada. Assim, se iguala ao também campeão olímpico Aurélio Miguel, único, dentre os brasileiros, que também tem três medalhas em competições deste nível.

Sarah Menezes chegou ao Mundial com enorme expectativa para que conquistasse a primeira medalha de ouro do judô feminino brasileiro em mundiais, favorita por ser a atual campeã olímpica e liderar o ranking.

Na fase inicial, pela manhã, venceu três lutas, com um wazari sobre Aigul Baikuleva (Casaquistão) e ippons em cima de Amelie Rosseneu (Bélgica) e Ebru Sahin (Turquia). Contra todas, teve dificuldade de fugir da marcação, uma vez que as adversárias estudaram bastante os movimentos da brasileira.

Na semifinal, já no período da tarde, Sarah Menezes acabou derrotada por Amartuvshin Dashdavaa, da Mongólia. A rival conseguiu pontuar primeiro, com yuko, e obrigou a brasileira a ser mais agressiva. Numa tentativa de queda, Sarah levou o contragolpe e sofreu novo yuko. Em vantagem, a atleta mongol passou a administrar luta, sem competitividade, aproveitando que só quatro punições afetam o resultado pelo novo regulamento.

Após a luta, Sarah saiu do tatame descontente, reclamando principalmente da segunda pontuação da rival, em que poderia ter sido marcado wazari para a brasileira, dependendo da interpretação dos árbitros.

Dos cinco medalhistas nos Jogos de Londres/2012 que lutarem nesta segunda-feira no Maracanãzinho (as quatro da categoria até 48kg e Felipe Kitadai na até 60kg), só Sarah e a belga Charline Van Snick, bronze na Olimpíada, voltaram a subir ao pódio. O brasileiro, que também terminou em terceiro em Londres, foi derrotado logo na sua primeira luta no Rio, pelo sul-coreano Won Jin Kim.

REPERCUSSÃO – Apesar da enorme pressão que havia em cima dela para que conquistasse o primeiro ouro do judô feminino brasileiro em Mundiais, Sarah ficou feliz com o bronze. “Consegui trazer mais um bronze, estou muito feliz. Agora é continuar nesse caminho que o mais importante é a Olimpíada de 2016”, disse Sarah Menezes, após a luta, ao SporTV.

A judoca brasileira só lamentou a derrota para Amartuvshin Dashdavaa, da Mongólia, na semifinal, injusta na opinião dela. “A semifinal ficou meio indeciso. Para mim foi ponto para mim, mas falaram que não. De qualquer forma eu sabia que era uma atleta muito forte, foi bem disputado”, disse ela.

Sarah saiu decepcionada do tatame após a derrota na semi, mas logo voltou concentrada para ganhar o bronze. “Consegui zerar. A gente tem que aprender a zerar, a ganhar e perder. Tive que levantar a cabeça porque a competição não tinha acabado. Esqueci e entrei na disputa do bronze como se fosse a primeira luta da competição”, contou.

A brasileira também explicou seu último golpe, aplicado quando o cronômetro apontava um segundo para o fim dos cinco minutos regulamentares. “Eu estava tenta tentando pegar o tempo de arrastar ela para trás. Olhei que faltava três segundos e pense que ela ia entrar. Fiquei esperando, e quando ela entrou para dar a entrada, joguei ela para trás.”

Apesar da enorme pressão que havia em cima dela para que conquistasse o primeiro ouro do judô feminino brasileiro em Mundiais, Sarah ficou feliz com o bronze, o terceiro seguido dela, que havia subido ao pódio também em Tóquio/2010 e Paris/2011. “Consegui trazer mais um bronze, estou muito feliz. Agora é continuar nesse caminho que o mais importante é a Olimpíada de 2016”, disse Sarah Menezes, após a luta, ao SporTV.

A judoca brasileira só lamentou a derrota para Amartuvshin Dashdavaa, da Mongólia, na semifinal, injusta na opinião dela. “A semifinal ficou meio indeciso. Para mim foi ponto para mim, mas falaram que não. De qualquer forma eu sabia que era uma atleta muito forte, foi bem disputado”, disse ela.

Sarah saiu decepcionada do tatame após a derrota na semi, mas logo voltou concentrada para ganhar o bronze. “Consegui zerar. A gente tem que aprender a zerar, a ganhar e perder. Tive que levantar a cabeça porque a competição não tinha acabado. Esqueci e entrei na disputa do bronze como se fosse a primeira luta da competição”, contou.

A brasileira também explicou seu último golpe, aplicado quando o cronômetro apontava um segundo para o fim dos cinco minutos regulamentares. “Eu estava tenta tentando pegar o tempo de arrastar ela para trás. Olhei que faltava três segundos e pense que ela ia entrar. Fiquei esperando, e quando ela entrou para dar a entrada, joguei ela para trás.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: