As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Só Martine e Kahena vão ao pódio em etapa da Copa do Mundo em Miami

Demétrio Vecchioli

31 de janeiro de 2015 | 12h30

O Brasil vive um momento na vela em que só Martine Grael e Kahena Kunze salvam. Isso ficou mais uma vez claro na etapa de Miami (EUA), a primeira do ano da Copa do Mundo de Vela. Líderes do ranking mundial e melhores velejadoras do ano passado, elas foram as únicas brasileiras a subirem ao pódio em Miami, neste domingo, com o bronze na classe 49erFX.

O resultado da dupla, entretanto, pode ser minimizado porque elas não completaram duas das 15 etapas. Na primeira, só sete dos 41 barcos cruzaram a linha final. Depois, na 11.º, elas receberam bandeira negra e acabaram desclassificadas. Ainda assim, ficaram a um ponto da medalha de prata.

Na Laser, Robert Scheidt começou sobrando, mas teve uma péssima segunda metade de competição e acabou apenas no quarto lugar, completando um ano sem ir ao pódio em competições importantes – o último pódio havia sido em Miami, no ano passado. Bruno Fontes também chegou à medal race e terminou em sexto, uma semana depois de ganhar o concorrido Campeonato Brasileiro, no Rio, com a presença de diversos nomes importantes da classe.

A CBVela levou toda a seleção brasileira para Miami, então o Brasil participou de todas as classes. Fernanda Oliveira/Ana Luiza Barbachan ficaram em sétimo na 470 Feminina e mantiveram a regularidade de sempre chegar à medal race – elas haviam ficado em quarto no Campeonato Norte-Americano, semana passada. Rivais pela vaga olímpica, Renata Decnop/Isabel Swan terminaram em 14.º em Miami.

Na 49er Masculina, Marco Grael (irmão de Kahena e filho de Lars) teve o melhor resultado da carreira. Com Gabriel Borges, chegou ao sétimo lugar, participando de uma medal race pela primeira vez em Copas do Mundo. Seus rivais Dante Bianchi e Thomas Low-Beer ficaram bem atrás, em 22.º. Os resultados dos principais eventos vão determinar quem vai ao Rio/2016.

Jorge Zarif terminou em 13.º na Finn, enquanto Bimba foi 10.º na RS:X Masculina e Patrícia Freitas a oitava na RS:X Feminina. Os três já estão convocados para a Olimpíada. Samuel Albrecht/Geórgia da Silva foi o melhor barco brasileiro na Nacra17, em 31.º, mesmo resultado de Fernanda Decnop na Laser Radial, classe com a vaga totalmente em aberto, que teve cinco brasileiras em Miami. Por fim, na 470 Masculino, Geison Mendes/Gustavo Thiesen ficou em 13.º e ganhou a disputa com Henrique Haddad/Bruno Bethlem (21.º).