Temporada nacional de vôlei de praia termina com masculino encaminhado e feminino indefinido
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Temporada nacional de vôlei de praia termina com masculino encaminhado e feminino indefinido

Demétrio Vecchioli

14 de abril de 2014 | 01h18

Temporada de vôlei de praia

Acabou, neste domingo, a temporada 2013/2014 do vôlei de praia brasileiro. O desfecho se deu no Super Praia, um evento interessante que reuniu as 12 melhores duplas do masculino e as oito principais do feminino ao fim do Circuito Brasileiro. Os campeões – Alison/Bruno Schmidt e Talita/Taiana – levaram, cada dupla, dois sedans esportivos da JAC Motors e cerca de R$ 80 mil em premiação.

De forma geral, a temporada teve poucas surpresas. No masculino, não há duvidas de quais são as duas melhores duplas do País. Alison/Bruno venceu o terceiro torneio seguido para tomar a dianteira na briga direta contra Emanuel/Pedro Solberg. Desde que as parcerias foram montadas, já aconteceram três finais entre eles. Emanuel/Pedro ganhou as duas primeiras e levou o troco na terceira. Alison/Bruno ainda ganhou o Sul-Americano (ganhando dos ex-parceiros na semifinal).

Dos 10 torneios da temporada (nove mais o Super Praia), Alison foi a final em oito, contra sete de Emanuel. E eles ainda decidiram o Rei da Praia. Seus companheiros também foram bem: seis finais para Pedro e outras seis para Bruno. Apesar do título do Circuito, Ricardo e Márcio foram a duas, apenas.

A disputa pelo posto de quarto dupla do Brasil teve Bruno/Hevaldo contra Evandro/Vitor Felipe. Os veteranos, de 35 anos, fizeram duas finais e foram vice-campeões do Super Praia, com direito a vitória sobre Emanuel/Pedro. Evandro/Vitor ganhou o título no Rio. Eles são mais jovens (têm 23 anos) e merecem seguir na seleção.

Volêi de Praia Feminino

Entre as mulheres, uma disputa aberta no vôlei de praia. Juliana/Maria Elisa chegando regularmente ao pódio (seis finais em dez eventos) não é novidade. Mas ninguém imaginava que Ágatha/Bárbara Seixas pudesse pudesse conquistar o bicampeonato, indo a cinco decisões e todas as semifinais do Circuito.

Só que tudo segue em aberto na seleção. Hoje, não dá para apostar qual a segunda dupla do Brasil na Olimpíada (Juliana e Maria Elisa têm vôlei e experiência de sobra). Talita/Taiana venceu o Circuito Mundial, ganhou o Super Praia, mas foi mal na reta final do Circuito Brasileiro, ficando relativamente longe da briga pelo título. Já Maria Clara/Carol, depois de um Circuito Mundial bem acima das expectativas, não foi nada bem no giro brasileiro, fazendo apenas três semifinais.

A boa notícia é que Elize/Fernanda Berti mostrou algum talento. A dupla que recebe apoio da CBV chegou às quartas de final de quase todas as etapas do Circuito e foi à final do Super Praia, algo inédito para elas. Lili, porém, é a dona do posto de quinta dupla do País, seja com Rebecca (que está grávida) ou com Duda. No Super Praia, ela e a garota de 15 anos foram até a semifinal, terminando em terceiro. Foi o primeiro pódio de Duda no adulto do vôlei de praia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.