Tênis de Mesa lamenta a morte de médico assassinado a tiros
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tênis de Mesa lamenta a morte de médico assassinado a tiros

Demétrio Vecchioli

25 de março de 2014 | 14h38

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) emitiu comunicado nesta terça-feira lamentando a morte do médico ortopedista Dárcio Maurício Correia, de 36 anos, que foi morto a tiros por volta das 20h de segunda, na Rua Rio de Janeiro, bairro Oswaldo Cruz, em São Caetano do Sul, região metropolitana de São Paulo.

“Dárcio e a CBTM estavam iniciando um trabalho especifico multidisciplinar com os atletas da seleção brasileira olímpica.  Uma equipe formada por um fisiologista, preparador físico, nutricionista e psicólogo, seria coordenada por ele”, explicou a líder de seleções da CBTM, Paula Emerenciano.

A seleção brasileira de tênis de mesa tem sua base em São Caetano do Sul. Na equipe da cidade treinam Gustavo Tsuboi, Cazuo Matsumoto, Caroline Kumahara, Hugo Calderano, Katia Kawai , Vitor Ishiy e Massao Kohatsu, entre outros atletas de destaque. Dárcio trabalhava com a CBTM e no Hospital São Camilo.

“A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa lamenta o ocorrido e presta solidariedade a família nesse momento de dor”, postou a CBTM.

De acordo com o repórter Bruno Ribeiro, quando a primeira unidade da Polícia Militar chegou até o local, depois dos disparos, o médico já havia sido socorrido. Ele foi levado ao Hospital Municipal de Emergências Albert Sabin, de São Caetano, mas não resistiu.

A Polícia Civil busca por testemunhas do crime. O celular, um rádio Nextel e o carro da vítima foram apreendidos. Devido à falta de informações sobre o que fez com que os criminosos atirassem, o caso foi registrado como homicídio, não como latrocínio (roubo seguido de assassinato).

Tudo o que sabemos sobre:

tênis de mesa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: