As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Thiago Braz faz índice para a Olimpíada e fica perto do Pan

Demétrio Vecchioli

26 de maio de 2015 | 18h31

Thiago Braz causou um racha no atletismo brasileiro, mas começa a colher os frutos da decisão de romper com o técnico Elson Miranda, que o formou, mudar-se para a Europa e trabalhar exclusivamente com o ucraniano Vitaly Petrov . Nesta segunda-feira, o campeão mundial juvenil de 2012 garantiu o índice olímpico no salto com vara ao ganhar a medalha de ouro no Meeting de Ostrava (República Checa).

Thiago precisava passar 5,70m para se classificar para os Jogos Olímpicos do Rio-2016, mas completou a prova com uma marca ainda melhor: 5,75m, que lhe dá o quinto lugar do ranking mundial. O garoto, de 21 anos, já tinha o índice para o Mundial porque saltou 5,65m no Troféu Brasil, no fim de semana retrasado, em São Bernardo do Campo.

Depois de romper com Elson (marido e técnico de Fabiana Murer), no fim do ano passado, Thiago mudou-se para Fórmia, na Itália, onde agora mora e treina sob os comandos de Petrov, ex-técnico de Yelena Isinbayeva e Serguei Bubka. O atleta também mudou de clube e compete pela Orcampi, de Campinas. Seus antigos companheiros de equipe na BM&F Bovespa, Augusto Dutra e Fábio Gomes, já estão classificados para o Mundial, mas ainda não para a Olimpíada.

A vitória desta segunda-feira, até mais do que o índice para os Jogos Olímpicos, que sairia mais cedo ou mais tarde, valeu a vaga provisória nos Jogos Pan-Americanos. A CBAt vai convocar os dois melhores de um ranking que fecha no próximo domingo. Thiago estava empatado com Augusto (ambos com 5,65m) e agora assumiu a ponta da lista, que era de Fábio (5,71m).

Teoricamente, Thiago ainda pode ficar de fora da Olimpíada, mas é muito improvável que um quarto atleta faça índice, ainda mais superando 5,75m. O quarto nome do Brasil na prova hoje é João Gabriel Santos, que tem 5,42m como sua melhor marca na temporada.

DELEGAÇÃO – Com a classificação do primeiro atleta do salto com vara masculino, o Brasil já tem a garantia de 39 atletas no atletismo dos Jogos Olímpicos do Rio, incluindo as 24 credenciais disponibilizadas para as provas de revezamento 4x100m e 4x400m. Também estão classificados seis maratonistas (três homens e três mulheres), três marchadores (dois homens e uma mulher), Fabiana Murer (salto com vara), Keila Costa (salto em distância), Andressa de Morais (lançamento do disco), Eder Souza (100m com barreiras) e Thiago André (1.500m). 

Além deles, já têm índice Ana Claudia Lemos (100m e 200m), Rosângela Santos (100m), Victoria Rosa (200m), Aldemir Gomes (200m), Bruno Lins (200m), Henderson Estefani (400m com barreiras) e Geisa Coutinho (400m), mas todos entram na conta dos revezamentos.

OUTROS RESULTADOS – No salto triplo, Jean Cassimiro Rosa (Rezende-RJ) ficou em quinto em Ostrava, com apenas 15,69m, longe do índice olímpico de 16,90m. Esposa de Marilson, Juliana Paula Gomes dos Santos (BM&F) foi prata em um Meeting em Rehlingen (Alemanha) nos 3.000m com obstáculos. Com 9min55s92, ficou a cerca de 10 segundos da classificação olímpica. Por fim, no mesmo evento, Cleiton Abrão ganhou bronze nos 800m, com 1min47s91. O índice olímpico da prova é 1min46s00.

Tudo o que sabemos sobre:

atletismoRio 2016Thiago Braz