As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por 100%, CBJ escancara ‘problemas’ e abre treinos em 4 categorias

Demétrio Vecchioli

25 de setembro de 2013 | 00h36

treino

Acho muito legal a postura da CBJ: não esconde de ninguém que nem tudo está perfeito no judô brasileiro. As coisas vão muito bem, obrigado, mas dá para melhorar. Não é porque o Brasil tem 70% da equipe de 2016 pronta a três anos da Olimpíada que não vai fazer o máximo para melhorar os outros 30%.

Nesta terça, a entidade anunciou que está com treinos abertos nas categorias até 63kg e até 78kg no feminino e até 73kg e até 90kg no masculino. Em outras palavras: procura atletas para substituir Katherine Campos e Bruno Mendonça e reservas de qualidade para Tiago Camilo e Mayra Aguiar.

Se estivéssemos falando de uma seleção de futebol, seria como procurar dois titulares, um reserva para um atleta cansado e um reserva para uma posição onde o titular reina absoluto.

A decisão da CBJ consiste em fazer treinamentos duas vezes por semana, tanto em São Paulo (Ibirapuera) quanto no Rio (Maria Lenk), respectivamente com Luiz Shinohara e Yuko Fuji, técnicos da seleção masculina e feminina. Pode aparecer para treinar, nestas categorias, o atleta que quiser. A restrição é mínima: tenha ganhado medalha em um campeonato estadual. O texto da CBJ sequer fala que precise ser no adulto.

Nas demais categorias, todos os atletas residentes em São Paulo e Rio estão convocados a treinar com seleção duas vezes por semana. “Obtivemos resultados interessantes com treinos desse tipo para categorias específicas. Agora queremos abrir os treinos para essas quatro categorias nas quais precisamos de um trabalho mais específico para darmos um salto de qualidade”, admite Ney Wilson, gestor técnico de alto rendimento.

Em teoria, os prejudicados serão os judocas de fora do eixo Rio-SP, especialmente da Sogipa (RS) e do Minas (Renan e Rochele Nunes, Mayra Aguiar, Maria Portela, Eduardo e Walter Santos, Katherine Campos, Hugo Pessanha, Luciano Corrêa, Nathália Brígida, etc). Além deles, Sarah Menezes (PI) e Wagner Moura (MS) não treinarão com a seleção.

Tudo o que sabemos sobre:

judô

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: