As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Triatlo tem dois mundiais em dois dias, mas Brasil fica longe do pódio

Demétrio Vecchioli

22 de julho de 2013 | 02h51

Seleção brasileira de Triatlo

Seleção brasileira de Triatlo

O fim de semana do triatlo foi de dois Mundiais e uma etapa da World Series. Tudo de uma vez só. Isso porque, sábado, em Hamburgo, aconteceu a sexta etapa da World Series. Em distância reduzida pela metade em cada uma das três modalidades, a prova valeu como Mundial de Sprint Triatlo. Depois, no domingo, ocorreu a disputa chamada revezamento por equipes, com dois homens e duas mulheres. A prova valia como Mundial.

Por conta da importância do evento, a nata do triatlo se reuniu em Hamburgo. Grande nome do Brasil no modalidade, Pâmela Oliveira fez o de sempre: foi muito bem na natação (saiu da água em segundo), chegou a liderar o ciclismo, mas cansou. Terminou em 21º, colocação parecida das demais etapas: 20ª em Madri, 28ª em San Diego.

Entre os homens, os brasileiros ficaram na metade de baixo da classificação. Diogo Sclerbin foi o 39º, Reinaldo Colucci o 49º e Bruno Matheus o 56º entre 65 competidores.

No domingo, Diogo e Reinaldo se juntaram a Pâmela e Luisa Baptista para o revezamento. A equipe acabou sentindo falta de um segundo bom nome no feminino (Luisa, de 19 anos, foi a 61ª e última colocada no sábado) e terminou na 13ª colocação entre 18 países.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.