As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Troféu Brasil – Resumão prova por prova

Demétrio Vecchioli

10 de junho de 2013 | 13h24

 Salto com vara – Recuperada, Murer vence e já é terceira do ranking mundialFabiana

Fabiana Murer chegou ao Troféu Brasil como segunda do ranking brasileiro e saiu dele como terceira do ranking mundial. Recuperada de lesão, a estrela do atletismo nacional fez 4,73m no seu melhor salto. Só aparece atrás da cubana Silva e da americana Suhr no ranking mundial, à frente de Isinbayeva.

Karla Rosa, que também tem índice CBAt para o Mundial (4,53m), só vai a Moscou se fizer o índice A da Iaaf ou Fabiana se machucar. No Troféu Brasil, a companheiro de Murer no BM&F Bovespa foi mal, com 4,23m, mas ficou com a prata.

No masculino, Augusto Dutra mostrou regularidade, vencendo com 5,70m, novo recorde do Troféu Brasil. Seu melhor salto no ano foi de 5,81m, o que o deixa em sétimo no ranking mundial. Thiago Braz, campeão mundial júnior, superou a vara a 5,60m e se classificou para seu primeiro Mundial adulto. Importante: passou tanto 5,50m quanto 5,60m já na primeira tentativa.

Salto triplo Feminino – Keila bate recorde brasileiro e se candidata a medalha em Moscou

Keila

Keila Costa (BM&F Bovespa) voltou a mostrar no Troféu Brasil que está na melhor fase da sua carreira. No salto triplo, fez o novo recorde brasileiro, 14,58m, resultado que a coloca como quarta do ranking mundial, sonhando com medalha em Moscou. Detalhe: ela garantiu o título no segundo salto, abdicou do quarto e do quinto, e voltou só para fechar a competição com seu novo recorde pessoal

Ela também venceu o salto em distância, com 6,51m, mas sem índice para o Mundial (6,65m). A marca ainda está longe das melhores do mundo e deve deixar Keila em 56º no ranking. A jovem Jéssica Carolina (20, de São Bernardo) ficou em segundo, com 6,34. Maurren Maggi sentiu dores após o primeiro salto na classificação e se retirou da competição.

Salto triplo – Jefferson faz índice no último salto; Jonathan e Jean passam raspando

Jefferson Sabino

Foi no apagar das luzes. Quando todos só esperavam o último salto de Jefferson Sabino para colocar um ponto final no Troféu Brasil, o atleta da Orcampi acertou um salto de 16,94m e, por 9cm, conseguiu o índice para disputar o Mundial de Moscou. Atualmente está no 12º lugar do ranking mundial e deve brigar por final.

Seu companheiro de clube não teve tanta sorte. Jonathan Henrique ficou a apenas 1cm do índice (16,84m). O surpreendente Jean Rosa (23 anos, de Rezende) também passou perto, a 3cm (16,82m), no melhor salto da sua carreira.

Jadel Gregório foi o quarto, com 16,38m, pelo ASA São Bernardo.

100m – Codó comemora cedo demais e fica sem índice para Moscou

codó100m – Codó comemora cedo demais e fica sem índice para Moscou

“Burrinho”. Assim o agora comentarista André Domingos definiu o ex-companheiro José Moreira, o Codó, na transmissão do SporTV. O velocista vencia os 100m com relativa folga, abriu os braços para comemorar a três passos da linha de chegada e fez o tempo de 10s16. A brincadeira impediu que chegasse ao índice de 10s14 para o Mundial. Bruno Lins foi o segundo, com 10s24. Alison Feitosa, só o sétimo.

200m – Franciela supera boa fase de Ana Cláudia e faz mais um índice para Mundial

Franciela

A excelente fase da Ana Cláudia Lemos (BM&F Bovespa) só valoriza o título de Franciela Krasucki nos 200m. A atleta do Pinheiros venceu com 22s76, baixou dois centésimos o índice para o Mundial, e vingou a derrota na final dos 100m. Nesta prova, as duas fizeram ótimos tempos: 11s07 e 11s15. Ambas estão garantidas no Mundial nas duas provas e no revezamento 4x100m, no qual terão a companhia de Rosângela Santos e Evelyn dos Santos.

Isso porque as quatro ficaram entre as quatro primeiras tanto nos 100m quanto nos 200m. Na prova mais longa, Rosângela (23s13), Evelyn (23s21) e Vanda Gomes (23s23) fizeram bons tempos também.

Ana Cláudia, que já correu para 22s61 no ano, está em 14º no ranking mundial dos 200m. Franciela é a 25ª. No Mundial, dá para sonhar com semifinal, uma vez que, só três atletas por país podem ir ao Mundial (entre as 24 primeiras, são 17 norte-americanas ou jamaicanas). Nos 100m, Ana Cláudia ainda é a oitava.

Decatlo – Um ano após acidente, Chinin bate recorde e vira 2º do mundo

Chinin

Em maio do ano passado, Carlos Chinin sofreu um grave acidente ao cair fora do colchão uma tentativa ruim no salto com vara. Saiu de helicóptero do estádio na Áustria, quebrou-se todo, ficou oito meses parado, mas a recuperação o deixou ainda melhor. No Troféu Brasil, ele quebrou o recorde sul-americano do decatlo com 8.393 pontos, superando os 8.276 que Luiz Alberto Cardoso fez no ano passado. A marca é tão boa que Chinin agora é o segundo do ranking mundial.

Luiz Alberto, não rendeu bem no Troféu Brasil, fazendo apenas 7.958 pontos, apesar da ajudar Chinin, que puxou a prova (os dois são da BM&F Bovespa).

Lançamentos e Arremessos- Juciele iguala recorde brasileiro; Geisa vence, mas não faz índice

Jucilene certo

Juciele Sales de Lima (BM&F Bovespa) é o grande nome das provas de campo em 2013. Já garantida no Mundial, a jovem de 22 anos igualou o recorde do dardo com um lançamento de 61,98m, superando até Laila Ferrer (Pinheiros), atleta olímpica, que fez 59,91m. Hoje Juciele é a 13ª do mundo.

Finalista em Londres, Geisa Arcanjo (Pinheiros) só acertou um das seis tentativas. Até venceu o arremesso de peso com 17,55m, mas ficou longe do índice de 18,58m. Exemplo para a nova geração, Elisângela Adriano se aposentou após o Troféu Brasil.

No disco, resultados decepcionantes. Andressa Oliveira (Pinheiros) venceu com 58,78m, superando Fernanda Martins (BM&F Bovespa), que fez 58,45m. As duas tinham chances reais de atingir o índice de 61,23m.

Entre os homens, nada que empolgasse. Darlan Romani (Orcampi) venceu no peso com 18,53m, quase dois metros longe do seu recorde pessoal e do índice. No disco, Ronald Julião fez 61,62m, longe da sua melhor marca no ano.

Salto em distância – Regular, Duda faz recorde pessoal e vira top3 do mundo

Duda 2

Em ótima fase, Mauro Vinicius, o Duda (BM&F Bovespa), mostrou que é forte candidato a medalha no Mundial de Moscou. Ele saltou quatro vezes acima de 8,00m para vencer no salto em distância. Na sua melhor tentativa, cravou 8,31m, marca que o deixa no terceiro lugar do ranking mundial e que é a também a melhor da sua carreira.

Depois de ir tão longe após apenas quatro saltos (todos válidos), Duda não saltou mais e deixou no ar até onde pode ir.

A prova também teve bom resultado (7,91m) de Thiago da Silva, de apenas 20 anos, que compete por Americana.

110m com barreiras – Matheus Inocencio baixa índice, mas vento ajuda demais

Matheus Inocencio não teve sorte durante o Troféu Brasil. O veterano de 32 anos venceu os 110m com barreiras com 13s43, tempo abaixo do índice de 13s45, mas a marca não vale porque foi feita com o vento favorável de 2,2m/s, quando o limite é 2,0m/s.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.