Um ano após corte, Juliana é perdoada e volta à seleção de vôlei de praia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um ano após corte, Juliana é perdoada e volta à seleção de vôlei de praia

Demétrio Vecchioli

18 de março de 2014 | 19h15

Depois de um ano sem defender o Brasil em competições internacionais, Juliana está de volta. Nesta terça-feira, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) convocou a seleção brasileira para as etapas de abertura do Circuito Mundial, em abril, e chamou a dupla que ela forma com Maria Elisa. Já no fim do ano passado ela mostrou arrependimento, conversou com o técnico Marcão, e foi desculpada.

Conforme havia sido antecipado pelo blog, a CBV decidiu fazer nova mudança no vôlei de praia brasileiro. Para este ano, os atletas indicam com quem desejam jogar, formando duplas. E essas duplas (e não mais os jogadores individualmente) é que são convocados. Assim, sempre que jogar, a não ser por lesão, Juliana estará ao lado de Maria Elisa.

A primeira alteração havia acontecido no ano passado. Até 2012, as duplas se inscreviam nas etapas do Circuito Mundial por conta própria. As melhores ranqueadas tinham lugar garantido. As demais jogavam o “country cota”, para definir o último representante do Brasil.

Curta o Olimpílulas no Facebook e siga no Twitter.

Já no ano passado passou a competir à CBV indicar as duplas que disputariam o Circuito Mundial, convocando atletas e remanejando-os de acordo com a opinião da comissão técnica. Na época, Juliana discordou do modelo e foi cortada da seleção. Maria Elisa, sua parceira, jogou o Circuito Mundial a contragosto com Ágatha. Bárbara Seixas foi unida a Lili. As duplas Taiana/Talita e Maria Clara/Carol foram mantidas, assim como as do masculino.

Apesar de criticado por quem teve de jogar com quem não queria, o modelo recebeu muitos elogios. Isso porque, como seleção, os jogadores passaram a ter estrutura da CBV durante as competições, contando com comissão interdisciplinar. Assim, o modelo de seleção foi mantido em 2014.

A primeira convocação, feita nesta segunda, vale para o Open de Fuzhou, de 22 a 27 de abril, e para o Grand Slam de Xangai, que será realizado na semana seguinte, também na China.

Com a volta de Juliana, a convocação não tem grandes novidades. No feminino, também foram convocadas as duplas Talita/Taiana, Maria Clara/Carol e Ágatha/Bárbara Seixas. Lili, que agora joga com a garota Duda, de 15 anos, ficou de fora.

No masculino, os oito atletas são os mesmos do ano passado. A única mudança na montagem das duplas se dá pela separação de Alison/Emanuel e Pedro Solberg/Bruno Schmidt. Assim, jogarão Ricardo/Álvaro Filho, Emanuel/Pedro Solberg, Alison/Bruno Schmidt e Evandro/Vitor Felipe.

Na semana passada, Ricardo, que foi campeão do Circuito Brasileiro ao lado de Márcio, já havia informado que voltaria a formar dupla com o garoto Álvaro Filho, com quem chegou ao vice-campeonato no Mundial de 2013. Alvinho estava jogando com Edson Filipe.

“Acho que será um ano ainda mais tranquilo para desenvolvermos o nosso trabalho, pois o projeto se mostrou vencedor no ano passado e os atletas se acostumaram com o sistema e entenderam a nossa proposta”, comentou a técnica Letícia Pessoa, do time masculino.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: