As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Universíade (4) – Arthur confirma favoritismo e fatura ouro com nota de campeão olímpico

Demétrio Vecchioli

10 de julho de 2013 | 20h50

Arthur Zanetti comemora apresentação quase perfeita que lhe rendeu o ouro nas argolas

Arthur Zanetti comemora apresentação quase perfeita que lhe rendeu o ouro nas argolas

A mais esperada das medalhas brasileiras na Universíade veio nesta quarta-feira, quando Arthur Zanetti subiu ao lugar mais alto do pódio com a medalha de ouro após faturar o bicampeonato das argolas na ginástica artística masculina. O quarto dia de finais da competição universitária em Kazan (Rússia) teve também a revanche de Idalys Ortiz sobre Rochele Nunes, agora na categoria open do judô.

GINÁSTICA – Num dia em que 30 medalhas foram colocadas em jogo na ginástica, só uma ficou com o Brasil. Ela veio com Arthur Zanetti, que teve nota 15.875, digna de campeão olímpica, para vencer nas argolas com enorme folga.

O Brasil ainda fez outras duas finais na ginástica, sempre com os homens – até porque a equipe feminina não foi. Péricles Silva foi o sétimo colocado no cavalo com alças (13.575) e Arthur Mariano terminou em quarto na barra fixa, com ótima nota 15.150

BASQUETE – Duas goleadas. No masculino, pró Brasil, que fez 106 a 40 no Chile com 28 pontos de Cristiano Felicio e 18 de Gui Deodato. Na quinta a equipe enfrenta a Lituânia, líder do Grupo D. Já no feminino, o atropelo foi das norte-americanas, que fizeram 105 a 75, eliminando o time brasileiro.

VÔLEI DE PRAIA – Oscar e Leonardo Gomes venceram fácil uma dupla de Omã e avançaram invictos ao mata-mata. Luan/Leopoldo perdeu a terceira e já joga o torneio de consolação.

FUTEBOL – A seleção brasileira da CBDU empatou em 1 a 1 com o Canadá, terminou em terceiro do grupo (com uma vitória e dois empates) e agora vai jogar o torneio de consolação.

JUDÔ – Três dias depois de surpreender a campeã olímpica Idalys Ortiz, Rochele Nunes levou o troco nesta quarta-feira. Agora na categoria open, que não é olímpica, as duas voltaram a se enfrentar na disputa pelo ouro, mas foi a cubana quem venceu desta vez, por ippon. Rochele, que acabou com a prata, vinha de três vitórias com essa pontuação.

Depois de terminar sem medalhas na categoria +100kg, David Moura mostrou por que é top10 do mundo e faturou o bronze na open vencendo três lutas por ippon, inclusive a que valia medalha. Ele perdeu na semifinal, diante de Lukas Krpalek (República Checa), também por conta de um golpe perfeito.

Nas categorias mais leves (48kg entre as mulheres e 60kg entre os homens) o Brasil não teve nomes da seleção. Caterie Moya perdeu as duas lutas que fez. Phelipe Pelim (23 anos) venceu dois adversários, mas foi eliminado da disputa pelo ouro por um japonês. Depois, um casaque o tirou do caminho do bronze.

VÔLEI – Duas vitórias no dia, tanto da equipe masculina quanto da feminina. Os homens (o time é representado pelo Monte Cristo, campeão da Superliga B) fizeram 3 a 1 na Suíça ainda pela fase de grupos. As mulheres passaram por 3 a 0 pelo Canadá e vão pegar o Japão pelas quartas de final.

POLO AQUÁTICO – Mesmo com boa parte da seleção principal masculina, o Brasil perdeu de 14 a 8 para a Sérvia, nesta quarta, ainda pela fase de grupos. Adrian Delgado, espanhol naturalizado, mais uma vez foi o artilheiro da equipe, que está em quinto no grupo, com uma vitória, um empate e duas derrotas. Na quinta, o Brasil tem que ganhar de Montenegro para avançar às quartas de final.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: