As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A bronca de Luxemburgo

Luiz Prosperi

18 de abril de 2011 | 22h45

Sempre polêmico, Vanderlei Luxemburgo condenou treinadores que se transformam em comentaristas de futebol na imprensa quando estão sem clube para trabalhar e depois voltam a dirigir um time no lugar de um treinador que foi demitido.

“Sou contra este trampolim. Se você hoje é comentarista e vira técnico de futebol, não pode voltar a ser comentarista quando, na condição de técnico, é despedido pelo clube”, disse Luxemburgo, nesta segunda-feira, no programa “Redação” do canal SporTV.

O técnico do Flamengo fez este comentário em cima de uma pergunta sobre a decisão de Paulo Roberto Falcão ter trocado a posição de comentarista da Globo para assumir o time do Internacional de Porto Alegre.

Amigo de Falcão, Luxemburgo desejou boa sorte ao novo técnico e disse que a volta do ex-jogador gaúcho ao futebol seria um bem para o mundo da bola.

A crítica de Luxemburgo não foi uma indireta a Falcão e sim a outros treinadores que viram comentaristas da noite para o dia, criticam o trabalho dos técnicos e logo em seguida voltam a comandar uma equipe de futebol.

Esta polêmica é boa. Treinadores não costumam aceitar críticas da imprensa e, muitas vezes, os comentaristas se acham melhores que os verdadeiros técnicos de futebol.

DE PRIMEIRA
“Vocês vão ter que me engolir”
Por Zagallo, treinador da Seleção Brasileira, após a conquista do título de campeão da Copa América em 1997, sobre as críticas que recebia da imprensa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.