Pato nunca vai ser Dudu do Palmeiras
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pato nunca vai ser Dudu do Palmeiras

Atacante do São Paulo é protegido por Juan Carlos Osorio e não convence Dunga na seleção brasileira

Luiz Prosperi

22 de setembro de 2015 | 16h53

Juan Carlos Osorio enxerga em Alexandre Pato um jogador acima da média. Já o comparou até a Neymar, entre outros menos cotados, como “punta” – aquele que atua por um lado do campo partindo em diagonal em busca do gol. Osorio protege Pato. O treinador do São Paulo entende que o atacante é o único diferente que ele tem no time. Daí a exaltação e elogios exagerados.

Osorio queria ver Pato na seleção brasileira. Pediu a convocação do seu pupilo para os jogos das Eliminatórias contra Chile e Venezuela. E, assim como o jogador, o treinador ficou frustrado quando o nome de Pato não apareceu na lista de Dunga.
Aliás, Dunga ainda não se convenceu de que Pato merece mais uma chance na seleção. O técnico tem a convicção de que o atacante do São Paulo não tem sangue nas veias, não é jogador de seleção.

dudu pato

Essa desconfiança, quase certeza, de Dunga remonta à Copa das Confederações de 2009 na África do Sul. Pato estava no grupo do Brasil comandado por Dunga. Era uma de suas apostas no torneio e, se fosse bem, estaria na Copa do Mundo de 2010.

Dunga se decepcionou com Pato nos treinamentos em Johannesburgo. Aos 19 anos, Pato se mostrou indolente nos treinamentos de preparação à Copa das Confederações. Vivia no mundo da lua enquanto seus companheiros ralavam sob frio intenso.

Agentes e patrocinadores que cuidavam da imagem do jogador na época ficaram assustados com o comportamento do atacante. Chegaram a elaborar um projeto para fazer do garoto um atleta vibrante, de fibra. Não funcionou.

Dunga desistiu de Alexandre Pato em 2009 e dificilmente vai dar nova chance ao atacante do São Paulo nestas Eliminatórias da Copa de 2018. Só vai mudar de opinião se for convencido por seus assessores de seleção, e, assim mesmo, com um forte argumento. O treinador não gosta de jogadores frios, descompromissados.

Entre Pato e Dudu, em uma hipotética convocação, Dunga optaria pelo atacante do Palmeiras. Evidente que Pato tem mais bola que Dudu, mas a diferença é a personalidade dos dois.

Dudu já esteve ao lado de Phillippe Coutinho, Oscar e Neymar nas seleções de base, todos do grupo de Dunga. Conhece a turma. Mas nunca vestiu a amarelinha da seleção principal. Pato já teve muitas chances e não vingou.

Osorio só espera que Pato não o comprometa nesses jogos decisivos da Copa do Brasil e Brasileirão 2015. E que Dunga possa se convencer de que seu protegido merece a seleção brasileira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.