As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brasileirão sob suspeita

Luiz Prosperi

11 de novembro de 2010 | 21h53

A CBF precisa encarar com mais seriedade as últimas rodadas do Brasileirão 2010. Crescem as ameaças de um time facilitar para o outro, seja lá por dinheiro ou outros interesses. Os clubes que não lutam pelo título nem pela Libertadores já desistiram do campeonato e podem usar os reservas nas partidas que restam. A credibilidade da fórmula de pontos corridos está em jogo. E atiça os defensores do mata-mata.

Ano passado, o Corinthians foi acusado de facilitar a vida do Flamengo no jogo disputado em Campinas, aquele que Felipe não se mexeu na cobrança de um pênalti batido por Léo Moura – na mesma partida Ronaldo e Elias saíram machucados ainda no primeiro tempo. O Grêmio também antecipou as férias de seus titulares e foi com time reserva enfrentar o Flamengo no Maracanã – o Internacional estava no páreo com o Flamengo na corrida pelo título.

Agora, o Inter pode jogar com os reservas para dedicar-se apenas ao Mundial de Clubes no início de dezembro. O Santos também cogita antecipar as férias de boa parte de seus jogadores. O Palmeiras, nas semifinais da Sul-Americana, manda avisar que vai de time B até o final do campeonato. O São Paulo, se não vencer o Vasco neste domingo, também vai tirar o pé do Brasileirão.

Essa combinação de interesses entre os clubes tem tudo para denegrir a imagem do Brasileirão de pontos corridos a quatro rodadas do final. A CBF poderia pensar em uma providência para 2011. Duas sugestões: multa pesada aos que desistirem do campeonato na reta final ou montar a tabela recheada de clássicos regionais nas duas últimas rodadas. Seria uma saída para evitar arranjos de última hora. Do jeito que está, sobram suspeitas de que o campeão sairá de um acordo por baixo dos panos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.