As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Corinthians cai e pode antecipar reformulação

Luiz Prosperi

24 de outubro de 2013 | 01h10

Alexandre Pato subestimou Dida na hora de bater o pênalti decisivo no confronto Grêmio x Corinthians. Tentou uma cavadinha? Um golpe de ilusão? Uma mágica? Nem ele mesmo sabe explicar a sua intenção. O seu erro liquidou o time e, por tabela, a temporada.

A corrida por uma vaga na Libertadores morreu nos pés de Pato na noite gaúcha. Resta agora não se descuidar mais no Brasileirão para não correr o risco de  ser encoberto pelo manto do rebaixamento.

Hoje, na eterna sina de se encontrar vilões e heróis no futebol, é bem provável que Pato será crucificado. Os que enxergam nele o culpado para a queda têm lá sua razão.

Mas é bom prestar atenção nos movimentos de Tite. A queda no Sul, por mais que estivesse anunciada, doeu nos corintianos. O time até que jogou bem, mas não teve força para não deixar levar a decisão aos pênaltis, muito em função dos veteranos que Tite é obrigado a escalar por falta de opções ou por teimosia.

Tite apostou nos trintões e vai sofrer com todos eles diante do inconformismo da Fiel. A história do time campeão de tudo em 2012 acabou nas mãos de Dida e no vacilo de Pato. É hora de recomeçar.

Revoltado com a eliminação na Copa do Brasil, o presidente Mario Gobbi pode anunciar nos próximos dias mudanças radicais no futebol do Corinthians. A devoção por Tite e alguns campeões do mundo pode ter chegado ao fim.

PARA LEMBRAR

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: