Del Nero já tem o nome de seu sucessor na CBF
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Del Nero já tem o nome de seu sucessor na CBF

Presidente da Federação Paulista de Futebol ganha poder nos bastidores da confederação

Luiz Prosperi

07 de agosto de 2015 | 12h25

Cresce o poder dos paulistas no comando do futebol brasileiro. Desde que Ricardo Teixeira abandonou o barco, deixando a CBF nas mãos da dupla José Maria Marin e Marco Polo Del Nero, dirigentes de outros estados perderam prestígio. Nos bastidores, já dão como certo que se Del Nero cair na rede do FBI, Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol, será o novo comandante da CBF.

As evidências ficaram mais fortes com o movimento de Reinaldo nos últimos eventos em que a CBF deveria ter um representante. Sitiado na CBF, Del Nero tem enviado o cartola paulista ao exterior como seu representante.

No sorteio das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 em San Petersburgo, na Rússia, na última semana de julho, Reinaldo Bastos representou Del Nero no evento da Fifa. Ele estava ao lado de Dunga e Gilmar Rinaldi quando as bolinhas do sorteio rolavam no globo.

Na final da Copa Libertadores, nesta quarta-feira em Buenos Aires, Reinaldo Bastos representou Del Nero nas tribunas do Monumental de Nuñes para acompanhar River Plate vs Tigres.

Reinaldo também se mexe no tabuleiro. Trouxe Mauro Silva, aliado de Dunga e Gilmar Rinaldi na seleção brasileira, para a FPF e contratou um jornalista ligado ao diretor de comunicações da CBF para exercer a mesma função na federação.

bastos

As andanças do presidente da Federação Paulista, sempre a mando de Del Nero, têm irritado presidentes de outras federações estaduais. Até mesmo candidatos à sucessão de Del Nero na CBF, fora do âmbito das federações, têm demonstrado insatisfação com poder dado Reinaldo Bastos. Zico, Andrés Sanchez e Ronaldo estão atentos.

Zico, por enquanto candidato à presidência da Fifa, entende como muito difícil um candidato independente ser eleito na CBF. “O processo eleitoral da CBF é muito restritivo, como o candidato tem de ser referendado no mínimo por sete federações e oito clubes, não vamos ter mais de três candidatos”, disse Zico em recente entrevista.

Andrés Sanchez, que poderia até fazer um dobradinha com Ronaldo Fenômeno, depende de uma união dos clubes. O ex-presidente do Corinthians tem como aliado Ricardo Teixeira, que deixou a CBF em 2012. Ronaldo conta com respaldo forte da TV Globo.

Pessoas próximas a Teixeira dizem que ele se arrependeu amargamente de deixar a CBF nas mãos de Marin e Del Nero. Ele imaginou que após Marin seria a vez de Andrés. Errou feio. Entrou Marin, depois  Del Nero e vem aí Reinaldo Carneiro Bastos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: