As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Destempero de Mano contra arbitragem prejudica o Corinthians

Presidente Mario Gobbi não se manifesta diante da insatisfação do treinador contra a atuação dos árbitros e STJD abre denúncias contra Renato Augusto e Mano e pode chamar Guerrero ao tribunal

Luiz Prosperi

28 de agosto de 2014 | 16h38

Mano Menezes abriu guerra contra os árbitros. O treinador não esconde de ninguém sua irritação com a arbitragem nos jogos do Corinthians. Reclama antes, durante e depois dos jogos.  Mano ainda não bancou que há um complô contra o seu time, mas não deixa de insinuar que existe sim um movimento nos bastidores desfavorável ao Corinthians.

O grau de insatisfação é tão relevante que acaba contaminando os jogadores. Eles entram “pilhados”, com exageros nos questionamentos aos árbitros. Por isso, pode ter sido coincidência a agressão de Petros ao juiz Raphael Claus no clássico contra o Santos na Vila. Petros foi julgado no STJD e pegou gancho de seis meses de suspensão.

Até mesmo o incidente entre Guerrero e o árbitro Leonardo Bizzio Marinho, no jogo desta quarta-feira com o Bragantino na Arena Pantanal, deve entrar na pauta da insatisfação de Mano com os apitadores. O STJD requisitou nesta quinta-feira imagens do “encontrão” de Guerrero e Bizzio para analisar e, se for o caso, apresentar denúncia contra o atacante corintiano.

O STJD também denunciou Renato Augusto, por suposta agressão a um jogador do Bahia, e Mano Menezes pelo conjunto do obra.

Aliás, não se pode jogar na conta do imponderável o crescente número de expulsões em jogos do Corinthians. Mano, ele mesmo, foi expulso do banco na goleada (5 a 2) em cima do Goiás no Itaquerão. Guerrero levou o vermelho de Heber Roberto Lopes no jogo contra o Grêmio em Porto Alegre, no domingo. Após a partida, Mano disse que desde 2010 o Corinthians não consegue vencer as partidas quando Heber apita. Para o treinador, é “muita coincidência”.

A situação ficou mais crítica ainda nesta quarta-feira com as expulsões do lateral Ferrugem e Sidney Lobo, auxiliar de Mano, na derrota para o Bragantino na Arena Pantanal.

O estranho dessa história é que Mano Menezes bate forte na arbitragem em todos os jogos do Corinthians, os jogadores entram acelerados acima do tom e os dirigentes do clube, diante desse cenário, não se manifestam.

Afinal de contas, há ou não um movimento da arbitragem contra o Corinthians? O que tem a dizer o presidente Mario Gobbi? Mano já deu a letra.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.