As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dona CBF, vamos abrir a janela

Luiz Prosperi

24 de maio de 2011 | 17h01

Cresce no futebol brasileiro o movimento pela antecipação da janela de transferências de jogadores contratados do exterior. Há uma inquietação dos clubes e federações que não podem usar no Brasileirão, até o final de agosto, os reforços que vieram e começam a chegar de fora do País.

De acordo com as normas da CBF, sempre seguindo a Fifa, jogadores que atuam fora e foram contratados por clubes brasileiros só poderão jogar no fechamento da janela de transferências do futebol europeu. É por isso, por exemplo, que Alex, contratado pelo Corinthians, só tem condições legais de atuar no final de agosto.

Diante deste impedimento, os clubes começam a intensificar um movimento pela antecipação da janela de trasnferências. A Federação Gaúcha encaminhou nesta terça-feira um pedido oficial à CBF implorando pela liberação dos reforços que chegaram do exterior. O Grêmio acertou com dois jogadores: o chileno Miralles e o volante Gilberto Silva, ex-Seleção Brasileira, que estava na Grécia.

No Corinthians, além de Alex, o clube fala em repatriar Cristian da Turquia e ainda investir em Seedorf, do Milan. Atrações que só poderão jogar em agosto.

O Palmeiras engatilha a contratação do zagueiro Henrique, que vem da Espanha, e Martinuccio, o argentino que joga no Peñarol. E o Santos fala em Zé Roberto, de volta do futebol da Alemanha. Todos eles só poderiam jogar daqui a dois meses.

O argumento dos clubes é que até lá já teriam sido disputadas 15 a 16 rodadas do Brasileirão. Prejuízo certo para a maioria dos times e até para a TV Globo, detentora dos direitos de transmissão do campeonato.

Quanto mais atrações em campo, mais audiência na tevê. Aliás, a Globo acaba de contabilizar uma queda acentuada no Ibope do Campeonato Paulista – 20% a menos de audiência nos últimos cinco anos.

Se a Globo apertar a CBF e os clubes e federações estaduais fecharem o cerco, não será surpresa uma atencipação da janela. Seria uma medida sensata da nem sempre sensata CBF.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.