As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Futebol: RedeTV! ameaça Globo e Record

Luiz Prosperi

22 de fevereiro de 2011 | 12h42

A briga pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, no triênio 2012, 13 e 14, continua quente. Globo, Record e RedeTV! estão no páreo. Cada uma tem uma carta na manga para vencer a concorrência. O lance mínimo que as emissoras têm de dar é de R$ 500 milhões, valor correspondente a um ano de direitos de transmissão. O pacote todo deve ficar em R$ 1,5 bilhão por três anos.

Das três concorrentes, a RedeTV! vem forte ameaçando Globo e Bandeirantes. O apetite da emissora, apontada como azarão na corrida, é grande. Não será surpresa se der um lance mínimo de R$ 700 milhões. A Record poderia chegar a R$ 600 milhões e a Globo, que tem a exclusividade até final deste ano, ficaria nos R$ 500 milhões. Hoje a Globo paga R$ 230 milhões por ano ao C13.

A RedeTV! projeta ampliar sua cobertura nacional comprando emissoras afiliadas em todo o Brasil. A Record promete novos produtos aos clubes dentro da sua rede. E a Globo aposta na sua enorme estrutura para agradar, em especial, os patrocinadores dos clubes e altos investidores do futebol brasileiro.

Na disputa pelo dinheiro da televisão, os clubes esquentam os bastidores do Clube dos 13. O Corinthians ameaça liderar um racha na organização, mas tem dívidas com C13 por conta de adiantamentos que pediu de cotas de transmissão da televisão. É grana alta. Para sair do C13, o Corinthians teria de quitar as dívidas. A lei vale para todos os clubes rebelados, a maioria devedora ao C13. No início da tarde desta terça-feira, dia 22, o presidente Andres Sanches anunciou que o Corinthians se licenciou do C13.

Andres diz que a decisão é só do Corinthians e não teria apoio de outros clubes. Nos bastidores, insinua que tem o respaldo do Cruzeiro e do Flamengo. Dirigentes do clube mineiro negam. O Flamengo, após se render aos pés de Ricardo Teixeira (presidente da CBF) com o título reconhecido do Brasileirão de 1987, não parece disposto a romper com o C13. Mas não descarta se aliar ao presidente da CBF contra o C13 em benefício da Globo.

A pulverização do C13, em princípio, pode não passar de uma fumaça. A disputa entre os clubes é por mais dinheiro. O Corinthians estaria pedindo só para ele cerca de R$ 75 milhões, do lance mínimo de R$ 500 milhões. Nessa partilha, o Flamengo também poderia pedir R$ 75 milhões. Restariam assim R$ 350 milhões para os 18 clubes, dos 20 membros do C13, dividirem entre si.

Por essa matemática da divisão do dinheiro da televisão não haveria consenso entre os 20 clubes. A briga promete. A expectativa é de que em um mês este imbróglio se resolva.

Este blogueiro aposta que, no fim das contas, a Globo vai vencer a concorrência e não vai haver um racha no Clube dos 13.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.