As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Neymar está cansado

Luiz Prosperi

13 de setembro de 2010 | 12h46

“Estou cansado de tudo”. A declaração é de Neymar. Um desabafo no seu twitter, após os incidentes no final do jogo que o Santos perdeu para o Ceará. Reclamava o garoto das supostas intimidações que sofreu durante a partida. Irritado, quis resolver no braço como todo bom moleque.

Até aí, nada demais. O que intriga é a frase “estou cansado de tudo”. Aos 18 anos, badalado como a mais preciosa joia do futebol brasileiro das últimas décadas, o novo mito, como afirmou o presidente do Santos, Luís Álvaro Ribeiro, o menino entregou os pontos. Por que se cansou tão cedo?

As respostas podem ser muitas. Mas quem tem de responder são os responsáveis pelo tal “projeto Neymar”, aquele que “foi um divisor de águas no futebol brasileiro”. Prometeram assistência psicológica ao menino, cursos de gestão aos familiares do garoto, ações de marketing em nome do garoto, um monte de coisas. Embrulharam um pacote de um presente que ainda chegou na casa de Neymar. De concreto, apenas o aumento substancial no seu salário.

Aumento salarial e bajulação que, por enquanto, têm dado mais prejuízos  ao craque precoce do que benefícios. Agora é a hora de o comando do Santos por em prática tudo o que havia sido prometido a Neymar. Acabou a festa. Se não agirem rápido, o menino de ouro corre o risco de se perder pelo caminho.

Aos que insistem na ladainha de que ele é caçado em campo pelos predadores do futebol, uma informação: no jogo de domingo, o Ceará cometeu dez faltas. Cinco delas foram em cima de Neymar e duas delas punidas com cartões amarelos. Dez faltas por jogo é bem abaixo da média geral que um time comete por partida.

Kléber, do Palmeiras, recebe mais faltas que Neymar. O problema é que disseram ao menino que as faltas que recebe são diferentes das que os comuns mortais sofrem.

Alguém precisa com certa urgência baixar a bola de Neymar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.