Palmeiras na Libertadores vai recorrer aos argentinos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Palmeiras na Libertadores vai recorrer aos argentinos

Cristaldo, Allione, Mouche, Lucas Barrios e até a volta do zagueiro Tobio podem moldar perfil do time na competição sul-americana

Luiz Prosperi

30 de outubro de 2015 | 17h19

 

crista

Palmeiras já caça jogadores para a próxima temporada e vai investir forte se o time garantir vaga na Copa Libertadores, seja por meio da Copa do Brasil ou Brasileirão. Nos projetos da comissão técnica, desde que Marcelo Oliveira continue, a chegada de um volante é imprescindível.

O treinador tem outras tarefas na montagem do grupo. Uma delas passa pelo destino do quarteto de argentinos – Mouche, Allione, Cristaldo e Tobio, emprestado ao Boca Juniors. Marcelo ainda não se manifestou sobre o aproveitamento dos gringos.

Se não correr, o técnico pode perder alguns deles. O que seria um prejuízo, do ponto de vista técnico, para um clube que pensa em ser campeão da Libertadores de 2016. Os argentinos se encaixam nesse perfil de competição tensa, de verdadeiras batalhas que se transformam até mesmo jogos de menor expressão na primeira fase do torneio.

Um exemplo de que os argentinos não afinam ficou claro na decisão por pênaltis nas semifinais da Copa do Brasil contra o Fluminense. Marcelo Oliveira escalou Cristaldo e Allione para baterem o terceiro e quarto pênaltis, respectivamente. E os dois foram lá, com sangue nas veias, e afundaram Diego Cavalieri. Sem frescuras, sem paradinhas.

Os quatro e mais o argentino-paraguaio Lucas Barrios podem ter papel de destaque na temporada de 2016. A encrenca é o assédio de outros clubes. Mouche, por exemplo, entrou no radar de times mexicanos – ele voltou há pouco tempo a jogar depois de sofrer uma lesão no início do ano. Cristaldo já espalha por aí seu desejo de defender o River Plate. Allione, de apenas 20 anos, interessa a clubes argentinos.

A situação do zagueiro Tobio é mais complicada. Ele tem contrato com o Palmeiras até 2019, mas assinou com o Boca Juniors até o junho de 2016. Dentro do clube paulista tem muita gente que garante que Tobio tem mais bola do que Leandro Almeida, ex-Coritiba, contratado a pedido de Marcelo Oliveira.

Se o Palmeiras pensa em grupo forte para a Libertadores, não pode abrir mão dos argentinos. Herança de Ricardo Gareca, de breve passagem pelo clube em 2014, esses jogadores podem ser imprescindíveis em 2016.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.