Palmeiras não pode mais vacilar no Brasileirão 2015
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Palmeiras não pode mais vacilar no Brasileirão 2015

Erros de Marcelo Oliveira facilitam a vida do Atlético-PR e a derrota obriga o alviverde a recuperar pontos perdidos em casa

Luiz Prosperi

02 Agosto 2015 | 14h44

Marcelo Oliveira não fez uma boa leitura antes e durante o jogo contra o Atlético-PR neste domingo de manhã no Allianz Parque. Alguns equívocos do treinador proporcionaram a vitória ao time paranaense por 1 a 0, resultado que obriga o Palmeiras a correr atrás no segundo turno de pontos importantes desperdiçados dentro de casa.

O primeiro vacilo de Marcelo foi apostar em Rafael Marques, poupado de alguns treinos durante a semana por estar com sinusite, segundo médicos do clube. Um atleta com sinusite jogar em um clima seco, ainda mais de manhã de céu aberto, compromete seu desempenho. Rafael deveria ter ficado no banco de reservas. Zé Roberto ou Cleiton Xavier deveriam sair jogando. Rafael não suportou o ritmo do jogo e foi substituído no intervalo por Kelvin.

Gabriel Palmeiras 2015

Com Kelvin aberto na direta e sem Rafael Marques, volantes do Furacão teriam de marcar apenas Robinho. Aliás, o meia, sobrecarregado na armação, abriu a boca e acusou cansaço. Quando Marcelo pensou em mudar o ataque, deveria ter sacado Robinho e não Leandro Pereira, até porque Barrios ainda não está entrosado com o time. Barrios entrou e ficou preso entre os dois zagueiros do Atlético. Robinho apagou. Arouca, que poderia aparecer de surpresa, estava preocupado a dar suporte a Andrei Girotto, que havia entrado no lugar de Gabriel, lesionado.

A entrada de Girotto foi outro equívoco de Marcelo Oliveira. O garoto joga melhor de segundo volante e se mostrou lento na hora de dar o bote nos meias do time paranaense. A melhor opção seria Amaral, mais cão de guarda, no lugar de Gabriel. Marcelo também não conseguiu desafogar seus laterais Lucas e Egidio, muito bem marcados por Nicão e Marcos Guilherme.

O técnico do Atlético, Milton Mendes – uma boa surpresa nesse deserto de ideias entre os técnicos brasileiros –, aproveitou os erros de Marcelo Oliveira e levou o seu time a beliscar três pontos preciosos fora de casa.

Com a derrota, o Palmeiras sai do G-4 e no segundo turno vai ser obrigado a devolver a derrota ao time paranaense na Arena da Baixada, recuperar no Serra Dourada os três pontos que perdeu para o Goiás, vencer o lanterna Joinville no Allianz Parque (empatou em Santa Catarina) e derrotar o Figueirense (perdeu em Florianópolis).

Se não cumprir com essa obrigação, o Palmeiras não vai brigar pelo título. Marcelo Oliveira, até aqui quase impecável, vai precisar de mais ousadia e usar melhor o elenco.