As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Picuinha leva Santos a vender lote de ingressos do Palmeiras na Vila

Dirigentes santistas deram o troco aos palmeirenses que venderam as entradas do primeiro jogo da final no Pacaembu

Luiz Prosperi

28 de abril de 2015 | 19h50

A decisão do Santos em vender os ingressos destinados ao Palmeiras apenas nas bilheterias da Vila Belmiro era um estopim de uma confusão. O palmeirense interessado em comprar a entrada teria de descer a serra, a partir desta quinta-feira, sob o risco de encontrar pela frente santistas do bem e do mal. Mesmo com muita boa vontade, acreditando na civilização, era encrenca na certa.

Por ordem das forças de segurança, com interferência da Polícia Militar, o Santos voltou atrás e vai vender os ingressos nas bilheterias do Pacaembu. Quer dizer, apenas metade do lote de pouco mais mil ingressos – cerca de 600.

Antes de voltar atrás, o Santos alegava que o Palmeiras havia tomado a mesma iniciativa ao colocar os ingressos dos santistas à venda no Pacaembu, no primeiro clássico da final do Paulista. Aliás, houve uma confusão absurda, com falta de policiamento e organização nas filas. Cambistas deitaram e rolaram.

A diferença agora é que a Vila é estádio do Santos. E o Pacaembu, no caso, era um estádio neutro. E se o Palmeiras fosse vender os ingressos destinados aos santistas no Allianz Parque, o que poderia acontecer? Melhor nem pensar.

Cabe ainda um alerta. Como a carga de ingressos destinada ao Palmeiras é de pouco mais de mil bilhetes, é bem provável que tropas das facções organizadas do Alviverde queiram comprar todos os ingressos disponíveis no Pacaembu e na Vila. Não será surpresa se brigadas das organizadas descerem a serra para adquirir as entradas. E aí…

Tudo isso deveria ser evitado. Dirigentes do Palmeiras e do Santos poderiam administrar melhor a organização dos dois clássicos da decisão do Paulistão. Em vez de agir com tamanho provincianismo e picuinhas, poderiam dar ao futebol a dimensão que ele merece.

Optaram pelo amadorismo e podem pagar caro por isso. Aliás, não vão pagar nada. Vão deixar tudo nas mãos da Polícia Militar e das forças de segurança.

Não custa lembrar que tem um palmeirense, de ficha corrida, em estado grave em um hospital da zona leste da Capital, vítima de um confronto entre torcedores. Ele teria sido espancado por santistas com socos, pontapés e barras de ferro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.