As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Rio cala São Paulo

Luiz Prosperi

03 de dezembro de 2010 | 21h39

Desorganizados, sem estrutura, fama de não pagar salários em dia, os clubes cariocas começam atropelar os paulistas. A hegemonia de São Paulo desmoronou.

Ano passado, o Flamengo deu um galope na reta final do Brasileirão e levou o título deixando para trás o poderoso São Paulo, de Juvenal Juvêncio, e o Palmeiras, de Luiz Gonzaga Belluzzo. Foi um tapa na cara dos paulistas. O Flamengo era dirigido por um treinador interino, o boa praça Andrade. Tinha no ataque o trôpego Adriano e ali, na batuta, o velhinho Petkovic.

Agora, na última rodada do Brasileirão 2010, o Fluminense já se apoderou da taça antes mesmo de o campeonato terminar. Precisa de uma vitória simples para cima do Guarani, outro clube da cota do vexame paulista.

Aliás, o Guarani vive um momento tão desprezível que até a sua diminuta torcida se propõe a ir ao Rio para torcer para quem? Fluminense, é claro.

O mesmo Fluminense que contou com a torcida de são-paulinos e palmeirenses nas duas últimas rodadas. Uma vergonha sem precedente. Os gigantes paulistas a favor de um clube carioca. Difícil acreditar que teremos um capítulo como esse na história do futebol de São Paulo.
O Fluminense se serviu dos paulistas, assim como o Corinthians tirou proveito do morto-vivo Vasco. E o clube carioca já encomendou a festa e o chopp. Reservou também um espaço na galeria nas Laranjeiras para colocar a taça do Brasileirão 2010.

A queda dos paulistas serve como reflexão para dirigentes, jogadores, treinadores e, mais ainda, aos torcedores. A salvação da lavoura só vem com um milagre: Corinthians campeão com ajuda do Guarani, que precisa arrancar um empatezinho diante do Flu no domingo.

Alguém aposta uma ficha no Bugre?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.