As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ronaldinho Carioca

Luiz Prosperi

31 de dezembro de 2010 | 12h56

Ronaldinho Gaúcho vai jogar no clube que pagar mais pelo seu futebol. Dos três candidatos a levar o craque, o Palmeiras é o que oferece mais grana – R$ 1,3 milhão por mês. Mas o Flamengo entrou forte na disputa. Por mais irônico que possa parecer, o clube carioca tem um aliado de peso nessa parada: a Traffic, ex-parceira do Palmeiras.

A Traffic parece disposta a não perder Ronaldinho Gaúcho sob pena de ver mais um grande negócio escapar das suas mãos como aconteceu no acordo de Ronaldo com o Corinthians, em dezembro de 2008.

Naquela época, J.Hawilla, presidente da Traffic, revelou a sua frustração: “Como não pensamos no Ronaldo antes do Corinthians”, lamentou Hawilla, então um parceiro de primeira hora do Palmeiras.

Agora aparece para a empresa a chance de fazer com Ronaldinho Gaúcho o que não foi possível fazer com Ronaldo. Hawilla, palmeirense confesso, poderia ajudar seu clube de coração na empreitada pelo Gaúcho. O problema é que o Palestra tem uma dívida estimada em R$12 milhões com a Traffic. E não paga.

É por isso que Ronaldinho deve desembarcar no Flamengo. Ele tem um apartamento na Barra da Tijuca, região nobre do Rio, e seu filho João, fruto do relacionamento do craque com Janaína Natielli, ex-dançarina do Domingão do Faustão, mora com a mãe na cidade. João está com 5 anos. Ronaldinho adora o Rio. Quando estava em litígio com o Grêmio no final dos anos 90, o jogador morou por pelo menos três meses na Cidade Maravilhosa e chegou a treinar no Bangu para manter a forma.

Quanto ao Grêmio, outro candidato a ficar com o Gaúcho, Assis, agente e irmão de Ronaldinho, deu a dica: “O Grêmio tem de se mexer. Tento fazer o meu máximo, mas, se não acontecer, não posso fazer mais nada, a culpa não é minha.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.