Ronaldinho Gaúcho engana clubes com a ‘Batalha dos Ronaldos’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ronaldinho Gaúcho engana clubes com a ‘Batalha dos Ronaldos’

Jogador não se interessa mais em jogar futebol e vive de recordações dos tempos de craque

Luiz Prosperi

08 de setembro de 2015 | 17h29

Ronaldinho Gaúcho não se emenda e clubes não aprendem. O jogador já deixou claro que não tem o futebol como prioridade. Desde que saiu do Atlético-MG há um ano, o craque não fez nada de extraordinário, apenas enganou os que apostaram no seu talento. Querétaro, do México, foi o primeiro a cair nessa cilada. A vez é do Fluminense, que se iludiu pelo Gaúcho e, por enquanto, paga caro por isso.

Campeão da Libertadores com o Atlético-MG em 2013, Ronaldinho apagou no Mundial de Clubes quando o time mineiro caiu eliminado diante do Raja Casablanca, de Marrocos, com a derrota por 3 a 1, em dezembro.

O craque sobreviveu no Atlético-MG até julho de 2014. Pouco jogou até rescindir seu contrato, com a marca de 88 jogos e 28 gols. Aos 35 anos, ele adiava a aposentadoria de fato para se aventurar no futebol mexicano. Jogou uma temporada no Querétaro, fechando a conta com 32 jogos e 8 gols. Segundo dirigentes do clube, Ronaldinho atraiu grande público e foi importante na campanha de vice-campeão do Querétaro.

Imprensa mexicana e comunidades de torcedores nas redes sociais não assinaram embaixo às declarações dos cartolas do clube. O jogador passou a ser chamado de Robaldinho, alusão aos altos salários – US$ 2 milhões por temporada – que recebia e ao pobre futebol apresentado. Nem aí com as manifestações da imprensa e torcedores, o jogador promovia enquetes nas redes pedindo aprovação às músicas do seu grupo de pagode.

ronaldinho

Em junho de 2015, rescindiu com o Querétaro em busca de um novo mercado. Los Angeles Galaxy e New York Red Buls, da Major Soccer League, e clubes inexpressivos dos Emirados Árabes Unidos, Catar e China sacudiram um punhado de notas de dólares, mas não o suficiente para convencer Ronaldinho.

O Fluminense surgiu com força e caiu no conto do vigário. Acertou com Gaúcho e, menos de dois meses depois, já se arrependeu. Ele quase não joga e na última vez que entrou em campo saiu vaiado.

Enquanto isso, Ronaldinho vive postando nas redes sociais o que ele chama de a “Batalha dos Ronaldos”, um tira-teima imaginário entre ele e Ronaldo Fenômeno com gols, dribles e lances espetaculares dos dois colhidos no YouTube.

Ronaldinho Gaúcho não é mais aquele das imagens das redes sociais e Ronaldo Nazário já se aposentou faz tempo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.