As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

STJD e CBF esvaziam o Brasileirão

Ao tirar de cena jogadores importantes por punições, o STJD prejudica os clubes. Por isso cabe aos dirigentes orientar os atletas para que tenham bom comportamento e investir na contratação de advogados de peso

Luiz Prosperi

22 de outubro de 2014 | 17h38

Paolo Guerrero está fora do clássico Palmeiras x Corinthians deste sábado. O atacante peruano foi punido pelo STJD nesta quarta-feira. Guerrero não joga também contra o Coritiba e Santos. A punição, errada ou não, é uma interferência direta do STJD no Brasileirão. Sem o seu melhor atacante, o Corinthians perde força nessa reta final do campeonato.

O curioso nessa história é que Guerrero havia sido absolvido pelo mesmo tribunal que o condenou agora. Dessa vez, o julgamento foi no pleno do STJD. O peruano foi condenado pelo suposto empurrão no árbitro no jogo de ida contra o Bragantino pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Como o Corinthians está eliminado dessa Copa, uma competição nacional, o peruano terá de cumprir pena no Brasileirão.

O caso Guerrero serve de alerta aos clubes, jogadores e treinadores a oito rodadas do encerramento do campeonato. Mais punições rigorosas podem vir por aí. Um que corre sério risco é Diego Tardelli, principal jogador do Atlético-MG, expulso contra o Bahia nesta terça-feira. Ao sair do campo, Tardelli esculachou o árbitro. Deve pegar um bom gancho.

Daqui para frente, todo cuidado é pouco. O apetite do STJD para interferir nas competições, penalizando os jogadores, é de um leão faminto. Bom lembrar que na temporada passada, o tribunal agiu com mão de ferro no caso da Portuguesa que, por tabela, beneficiou ao Fluminense.

Ao tirar de cena jogadores importantes por punições, o STJD prejudica os clubes. Por isso cabe aos dirigentes orientar os atletas e contratar advogados de peso.

Não bastasse o STJD, a CBF também colabora com o esvaziamento do campeonato e da Copa do Brasil ao marcar dois amistosos da seleção brasileira na reta final dessas duas competições. Dunga convoca 22 jogadores nesta quinta-feira e deve tirar jogadores de peso de clubes que lutam pelos dois  títulos e vaga na Libertadores.

É difícil entender a lógica do futebol brasileiro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.