As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um brinde ao futebol

Luiz Prosperi

22 de outubro de 2010 | 01h47

Quem gosta de futebol não pode perder a rodada deste fim de semana do Brasileirão 2010. Não vai ter um jogo desinteressante. Vamos ver dez partidas de sair faísca. Sem falar nos bons confrontos entre os grandes protagonistas desse campeonato.

Veja, por exemplo, o clássico do Pacaembu. O Corinthians, numa pitimba danada, não pode pensar nem no empate diante do Palmeiras. Tem de vencer. Ao time do Felipão não se dá o direito envergar agora, muito menos quebrar sob pena de acabar com o encanto com a sua torcida.

Tem algo mais ainda. Ronaldo x Kleber. Fenômeno versus Gladiador. Dois artilheiros pela natureza que estão prontos para fazer a diferença. Na beira do campo, dois treinadores da escola gaúcha e consagrados. Felipão contra Tite, ainda inebriado com o mundo árabe e com a dura missão de tirar o Corinthians do buraco.

Quer mais? Valdivia e Jucieli, talento contra a novidade do futebol brasileiro. Chicão e Marcos Assunção. Quem vai ficar na barreira?

A rodada não acaba nesse clássico paulista. Cruzeiro e Atlético-MG prometem parar Minas. Montillo contra Diego Souza. Um na luta pelo título e outro na corrida para fugir da forca.

No Sul, Gre-Nal. Dispensa comentários. O jovem Giuliano frente ao malandro Douglas, ex-Corinthians. Jonas, artilheiro do Brasileirão atrás de mais gols, e o perdigueiro argentino Guiñazu no seu encalço. E o Carlos Eugênio Simon, o errático, no apito para a discórdia de gremistas e colorados.

Em Curitiba, o Furacão promete soprar o Fluminense. Jogo de alta voltagem. Trepidante. O Atlético-PR sobe como um rojão e o time carioca não pode desperdiçar um pontinho que seja na corrida pelo título. E tem Muricy suando em bicas na beira do campo.

No Rio, Flamengo e Vasco. Outro frisson e rivalidade. Deivid contra Éder Luís. Luxemburgo, que, parece, se sentiu em casa no ninho do urubu, diante de um ex-pupilo, o falante PC Gusmão. Pena que nem flamenguistas e vascaínos gostam do Engenhão, palco do jogaço.

No Nordeste, o relâmpago São Paulo sob Carpegiani visita o inflamado Ceará. O time paulista chega embalado querendo reconquistar seu espaço cativo no Brasileirão para embicar de vez na Libertadores.

E na Vila, o Santos diante do rebaixado (quase) Prudente. É jogo para turma de Neymar enfiar cinco, seis gols sem susto. É jogo para o Santos levar a sério e encurtar o caminho na travessia pelo título.

A mesa está servida. Quem gosta da bola não pode de jeito nenhum perder essa rodada. Um brinde ao futebol.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.