As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Velho parceiro diz que Dunga não muda

Luiz Prosperi

25 de junho de 2010 | 09h27

Encontro com Mauro Silva na sala de imprensa do Estádio de Durban, três horas antes de o Brasil enfrentar Portugal nessa sexta-feira. O volante, parceiro de Dunga na conquista do tetra em 1994, trabalha na Copa para uma rede de tevê do Brasil. A pergunta é inevitável.

Dunga vai mudar o seu comportamento ou toca o barco assim até o final da Copa do Mundo?

Mauro responde:
“Não tem jeito. Ele é assim mesmo. Não vai mudar nunca. Em 94 já era a mesma coisa. É da personalidade dele. Quando ele põe um coisa na cabeça, não muda.”

E a seleção de hoje joga no mesmo esquema de 94?

Mauro concorda:
“No mesmo esquema. O Gilberto Silva faz a mesma função que eu fazia. E o Felipe Melo faz o papel de Dunga. É um esquema seguro, que deu certo em 94.”

Vai dar certo agora?

“Contra seleções que jogam fechadas, fica complicado. O adversário não sai lá do seu campo, marca atrás da linha da bola. O Brasil fica um pouco sem ação.”

Nas oitavas de final e nas próximas fases alguma seleção vai atacar o Brasil?

“Penso que sim. São seleções de mais tradição, que não vão ficar 90 minutos lá atrás. Isso é bom para o Brasil. Com seleções que atacam, o Brasil se sai bem. Contra Costa do Marfim, foi assim. Eles saíram e levaram nas costas.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.