As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vitória da violência no Paulistão

Luiz Prosperi

25 de abril de 2011 | 16h58

Infeliz a decisão de uma torcida só nos jogos das semifinais do Paulistão. No momento mais eletrizante do campeonato, os cartolas resolveram afastar os torcedores dos estádios. Alegam questões de segurança. Tradução: o futebol sai perdendo.

Sem argumentos, os dirigentes dos clubes atenderam à solicitação do Ministério Público, na figura do promotor Paulo Castilho, para enxugar o espaço destinado à torcida visitante. Trata-se de uma derrota acachapante para a violência. Com medo dos vândalos, os clubes, a Federação Paulista e o MP evitaram duas torcidas em um jogo. Optaram pelo mais fácil.

Assim teremos os corintianos com apenas 5% dos ingressos no clássico contra o Palmeiras, neste domingo, no Pacaembu. E os santistas com 5% dos bilhetes no jogo contra o São Paulo,neste sábado, no Morumbi. Ridículo.

Com esta decisão, os cartolas negam ao torcedor o direito de acompanhar o seu time na decisão do campeonato. O mesmo torcedor que passou três meses seguindo seu clube em jogos de pouca valia.

O futebol paulista tirou o direito de se torcer no estádio. É lamentável.

DE PRIMEIRA
“Essa é uma vitória da violência, já que as torcidas terão de pagar por uma ineficiência do Estado. É muito errado usar a experiência da Argentina como argumento, pois isso é uma afronta ao torcedor. ”
Por Rafael Scarlatti, diretor da Mancha Alviverde, em junho de 2009

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.