As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Futebol e a Maior Capacidade Física: O que vai acontecer no futuro?

Ricardo Guerra

07 de fevereiro de 2012 | 08h19

A idéia de que, em poucos anos, o campo de futebol vai se assemelhar às movimentadas ruas do Cairo, onde o espaço para se locomover é praticamente inexistente, não é improvável. Na verdade, as características físicas do jogador mudaram, radicalmente, ao longo das últimas décadas, como resultado do aumento da sua capacidade fisiológica. Os jogadores percorrem uma maior distância dentro do campo, numa intensidade mais elevada, em menor tempo. Consequentemente, o campo tornou-se congestionado.

Há menos espaço disponível para o talento aparecer e assim os jogadores têm menor possibilidade de mostrar e desenvolver suas habilidades. A evolução técnica não acompanhou, lado á lado, a rápida evolução física que vem ocorrendo ao longo das ultimas décadas e que continua até hoje. Atualmente, o número de jogadores que conseguem atuar com brilho (no campo congestionado) é, proporcionalmente, muito menor do que antigamente, quando havia mais espaço. Assim sendo, hoje em dia, verificamos que há  menos jogadas geniais, do que em tempos passados.

Naquela época, a habilidade técnica do jogador encontrava-se avançada em relação à sua capacidade física. Tal capacidade física iria passar ainda por uma revolução que os levariam a um novo patamar físico. Hoje em dia a situação é inversa, ou seja, a capacidade física é, relativamente, muito maior que sua habilidade técnica.  Vale a pena mencionar, que isso não quer dizer, necessariamente, que os jogadores do passado eram mais habilidosos do que os da atualidade (esse seria um tema para um outro artigo). Dentro da atual realidade que o futebol se encontra existem casos de jogadores (uma minoria) que se destacam com jogadas geniais. No entanto, se a capacidade fisiológica dos jogadores de futebol continuar a aumentar, o que os dados existentes sugerem que vai acontecer, estaremos, então, caminhando para uma situação em que o jogo vai se tornar quase irreconhecível.

 Medição da Distância Percorrida

Nas últimas décadas, a distância total percorrida por um jogador numa partida de futebol aumentou significativamente de cerca de 8.500 metros no final dos anos 70, para, algum valor atual entre 10.000 e 13.000 metros, dependendo do país examinado. Mais recentemente a distância total percorrida durante uma partida só tem aumentado marginalmente. A mudança surpreendente na capacidade fisiológica dos jogadores atualmente é atribuída principalmente à capacidade de executar e aguentar uma maior carga de alta intensidade de esforço físico ao longo de uma partida.

Carga de Alta Intensidade Quantificada

Dados coletados nos últimos sete anos da Premier League (do futebol inglês), demonstram que houve um aumento de 46% no número total de atividades de alta intensidade (movimentos acima de 19,8 km/h). Em particular, o número de sprints (movimentos acima de 25,2 km/h), aumentou de 287 para 487, no mesmo período, ou seja, um aumento médio de quase 70%.

Potencial Não Alcançado

Fisiologistas do exercício têm sido capazes de implementar metodologias de treinamento que estimulam e aumentam a capacidade física dos jogadores de uma forma ainda maior. Atualmente, tais metodologias específicas às necessidades fisiológicas de um jogador dentro de uma partida estão somente sendo implementadas em um número limitado de clubes mundiais, por diversas razões… Consequentemente, o potencial para aumentar essa capacidade ainda está bem longe de ser alcançado.

A mudança contínua da maior capacidade fisiológica dos jogadores de futebol é inevitável e faz parte da evolução natural do esporte. No entanto, níveis mais altos de capacidade física dos jogadores, não necessariamente, significam um jogo com menos habilidade ou brilho. O brilho magistral do jogo vai desaparecer, se a FIFA continuar paralisada e tomada por total inércia e incapacitada de implementar leis que criem espaços abertos no campo (não aconselho aumentar as dimensões do campo). Se continuarmos com este cenário, estaremos a caminho de ter o campo de futebol igual às ruas sempre congestionadas do Cairo.