Com carne de cavalo no cardápio e cobaias em estudo, brasileiros lideram Mundial de Rally Cross Country no Cazaquistão

Com carne de cavalo no cardápio e cobaias em estudo, brasileiros lideram Mundial de Rally Cross Country no Cazaquistão

Ricardo Ribeiro

28 de maio de 2019 | 16h29

Alô, amigos! Tudo bem? Você já comeu carne de cavalo?

Um país que não é o preferido pelos turistas brasileiros, faz fronteira com Rússia, China, Quirguistão, Uzbequistão e Turcomenistão, na Ásia, além de pegar uma boa parte do Mar Cáspio.

Um país repleto de dunas, deserto e planícies. É nesse cenário que os brasileiros Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin estão disputando o Rally do Cazaquistão, terceira etapa da Copa do Mundo de Rally Cross Country, que começou na segunda-feira e terminará dia 1 de junho depois de 2.530 quilômetros.

Varela e Gugelmin são os atuais líderes do campeonato, que já teve duas corridas: uma em Doha, no Catar, e outra em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, além do Cazaquistão. A grande final será em outubro, no Rally do Marrocos.

Depois de dois dias de prova, eles lideram com folga a competição com um UTV Can-Am Maverick X3 da equipe oficial Monster e têm mais de 58 minutos de vantagem para os vice-líderes da temporada, os russos Fedor Vorobyev e Kirill Subin.

Experiências no Cazaquistão

Disputar uma prova de rali no Cazaquistão é uma experiência e tanto. Uma delas, é na gastronomia. Reinaldo Varela, que tem uma rede de 186 restaurantes no Brasil, aproveita as viagens para experimentar comidas e temperos regionais. Desta vez, ele e Gugelmin aproveitaram para comer um dos pratos muito consumidos no país, que é a carne de cavalo. Lá eles usam na cozinha quase tudo do animal.

É muito comum também o kumis, que é o leite de égua, salsicha de carne de cavalo, lombo, toucinho do pescoço e (pasmem!) o karta, que é o intestino grosso do bicho! Varela e Gugelmin, no entanto, ficaram apenas no filé assado, com batatas e salada! Menos mal… rs

Reinaldo Varela, bicampeão do Rally dos Sertões e campeão Mundial na categoria Carros, além de campeão do Dakar nos UTVs, também está sendo “cobaia” de um estudo alemão no Cazaquistão. Todos os dias, um sensor mede a temperatura da cabeça dentro do capacete e tiram uma gota de sangue da orelha para medir o ácido lático do piloto para saber como os músculos reagem em condições extremas durante uma corrida no deserto.

“Alguns trechos no Cazaquistão lembram muito o roteiro do Jalapão, no Tocantins, no Brasil, onde vai passar o Rally dos Sertões 2019, a prova mais importante do país. Agora precisamos manter o foco para segurar a liderança em busca da vitória, mas ainda tem muito chão pela frente até o final, dia 1 de junho”, comentou Reinaldo Varela enquanto caminhava na praia do Mar Cáspio.

Além dos UTVs, o Rally do Cazaquistão conta com a categoria Carros. E grandes nomes estão na disputa, como a dupla vencedora do Dakar 2019, Nasser Al Attiyah (Catar)/Matthieu Baumel (França), que lidera na classificação geral, e Stephane Peterhansel, o “Senhor Dakar”, que aparece em quinto ao lado da mulher, Andrea Peterhansel. O Rally do Cazaquistão continua nesta quarta-feira com uma etapa de 327 quilômetros na região da cidade de Aktau.

Resultados oficiais: para acessar a categoria UTV, dos brasileiros, clique em “T3”  no link http://timing.sporttraxx.com/races/kazakhstan-2019/#results/2

* Ricardo Ribeiro, paulista, 47 anos, é jornalista, louco por internet, tecnologia, fotografia, vídeo e café. A trabalho, participando das maiores provas off-road do Planeta, já esteve em 39 países. Fez a cobertura do Paris-Moscou-Ulan Bator-Beijing, entre França, Alemanha, Holanda, Finlândia, Rússia, Cazaquistão, Mongólia e China. Também foi quatro vezes para o até então ‘Paris-Dakar’ na França, Espanha, Marrocos, Mauritânia, Líbia, Egito, Tunísia, Mali, Burkina Faso e Senegal, na África, e três vezes entre Argentina, Chile, Bolívia e Peru. Fez a cobertura do Rally dos Sertões pela primeira vez em 1999. Já fez a cobertura da Stock Car, a maior prova do automobilismo brasileiro, da MotoGP, Rally RN 1500, Campeonato Português de Todo Terreno e várias outras competições.

Tendências: