Depois de assumir vice-liderança, maranhense deixa o Dakar nos quadris

Depois de assumir vice-liderança, maranhense deixa o Dakar nos quadris

Ricardo Ribeiro

07 de janeiro de 2016 | 11h55

Bom dia, amigos. Tudo bem?

Depois do abandono de Jean Azevedo, da equipe Honda South America Rally Team, hoje pela manhã, após a etapa maratona, quando é proibido fazer a manutenção nos veículos (leia abaixo), agora foi a vez do maranhense Marcelo Medeiros, nos quadriciclos, que sofreu uma queda minutos atrás.

Marcelo entrou ontem para a história do Brasil na competição ao assumir a vice-liderança na classificação Geral. Ele foi removido pelo helicóptero médico da organização e as primeiras informações apontam para clavícula quebrada. Mas vamos esperar sair o boletim médico oficial.

Dos 10 pilotos brasileiros que largaram no Dakar, agora restam apenas quatro: João Franciosi e Gustavo Gugelmin, da equipe Petrobras Mitsubishi, e Leandro Torres e Lourival Roldan nos UTVs (Polaris Extreme). Guilherme Spinelli e Youssef Haddad, companheiros de Franciosi, já deixaram a prova, bem como a dupla Jorge e Joel, de Mitsubishi Evo, e Jean e Medeiros (Yamaha).

Jean Azevedo, da equipe Honda South America Rally Team, abandonou o Dakar depois da etapa maratona, quando os competidores não podem fazer a manutenção dos veículos.

Jean Azevedo, da equipe Honda South America Rally Team, abandonou o Dakar depois da etapa maratona, quando os competidores não podem fazer a manutenção dos veículos. Foto: Gustavo Epifânio/Vipcomm

Sobre o Jean: ele está neste momento em Salta (Argentina) e volta para a casa no domingo, para felicidade da mulher Patrícia e dos filhos Mariana e Bruno.

Marcelo Medeiros, piloto de quadriciclo no Rally Dakar, é do Maranhão

Marcelo Medeiros, piloto de quadriciclo no Rally Dakar, é do Maranhão. Foto: Divulgação

 

Jean Azevedo abandona Dakar após etapa maratona para ajudar companheiro de equipe

O piloto Jean Azevedo, único brasileiro na categoria Motos do Rally Dakar, abandonou a competição na manhã desta quinta-feira depois de largar do acampamento de Jujuy, na Argentina, com destino a Uyuni, na Bolívia.

Após a etapa maratona, quando nem mesmo os pilotos puderam fazer a manutenção dos veículos, Jean cedeu o radiador para o colega de equipe Honda South America Rally Team (HSA) Javier Pizzolito, da Argentina, e que estava com a peça danificada.

Esta escolha foi feita por vários motivos. No dia 4 de janeiro, Jean sofreu uma queda forte, onde bateu a cabeça e o ombro, deixando o piloto com fortes dores nas mãos, braços e na região das costelas. Devido ao acidente, o tanque de combustível foi danificado, o que o obrigou a andar devagar para poder completar a etapa, ficando na 132ª na classificação geral.

“Todos no Dakar estão em busca da vitória ou de bons resultados pessoais, mas somos uma equipe e também estou aqui para trabalhar e ajudar a Honda a vencer o Dakar. Não importa quem poderia ganhar; o que interessa é a marca terminar campeã. Por isso optei em sacrificar a minha corrida que já estava comprometida desde o acidente e cedi o radiador ao Pizzolito”, afirmou Jean. Ele não foi para a Bolívia e seguiu para a cidade de Salta, na Argentina, onde ficará até domingo.

Resultados dos pilotos Honda (HRC) e (HSA) até a etapa de ontem (06/01) na classificação Geral acumulada.

1. Paulo Gonçalves (HRC)
2. Kevin Benavides (HSA)
3. Joan Barreda (HRC)
13. Michael Metge (HRC)
17. Ricky Brabec (HRC)
22. Paolo Ceci (HRC)
26. Adrien Metge (HSA)
28. Javier Pizzolito (HSA)
96. Jean Azevedo (HSA)

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: