Exclusivo: Rally dos Sertões abre inscrições dia 2/10 e quer atrair novos pilotos de moto com categoria “self”

Exclusivo: Rally dos Sertões abre inscrições dia 2/10 e quer atrair novos pilotos de moto com categoria “self”

Ricardo Ribeiro

28 de setembro de 2017 | 15h08

E aí amigos, tudo bem? Bóra falar de 2018!

O Rally dos Sertões acaba de anunciar que abrirá as inscrições a partir de 2 de outubro (segunda-feira) para a 26a. edição, que será realizada de 18 a 25 de agosto de 2018 entre Goiânia e Fortaleza. As inscrições poderão ser feitas pela internet, no site oficial do evento, o www.sertoes.com

A prova terá as categorias Carros (regularidade e cross country), Motos, Quadriciclos e UTVs, além da Expedição Sertões (uma espécie de passeio com aventura 4×4). A organização do evento não confirma, mas existe a possibilidade de ser criada uma expedição para motos big trails.

Categoria Regularidade, vencida por Sandra Dias e Maurício Gonçalves na Turismo, terá condições especiais nas inscrições. Foto: Gustavo Epifânio/Fotop

Novidades

O Sertões 2018 vem recheado com um monte de novidades, como as categorias de incentivo. Uma delas, apresentada pela Dunas Race, empresa organizadora da competição, quer atrair mais pilotos de moto – sejam novatos ou não. A categoria ainda não tem nome definido, mas batizei de self pelo menos para escrever esse post.

“A categoria (self) será uma oportunidade para os pilotos testarem os limites de uma forma econômica e ainda mais desafiadora”, explica Marcos Ermírio de Moraes, diretor-geral do Rally dos Sertões.

Marcos Moraes, diretor-geral da Dunas Race. Foto: Vinícius Branca/Fotop

Mas o que é a tal categoria self?

É mais ou menos assim: o próprio piloto terá a opção de fazer a manutenção da moto no final de cada dia, como troca de óleo, de pneus etc. E já que ele cuidará do equipamento sozinho, não precisará ter equipe de apoio e infraestrutura, o que já diminuiria consideravelmente as despesas. Nada de mecânicos, vários carros, caminhões, passagens de avião de toda a turma, despesas com hotel e alimentação.

MEU SERTÕES – Ep. 05 Aruanã a Barra do Garças

A aventura do Christian Costantini continua cheia de emoções! Depois dos desafios da etapa maratona, é hora de cair na estrada em uma especial que teve trechos guiados apenas por GPS. Foi a estreia do nosso guerreiro neste tipo de navegação e ele mostrou para o que veio 👊🏼👊🏼👊🏼✊🏼! No fim do dia, hora de dar aquele tapa na máquina e o Christian passou pra gente algumas dicas para quem quer um dia se aventurar em um rali Male Moto. Nossa websérie produzida pela #onerally especialmente para o Rally dos Sertões Oficial já passou da metade, mas ainda promete muitas emoções! Aceleraaa!!!

Publicado por Rally dos Sertões Oficial em Quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Na edição de 25 anos do Sertões, realizada em agosto deste ano, o executivo da área de marketing esportivo, Christian Costantini, fez uma prévia da categoria self. Ele participou da prova (e terminou!!) sem equipe de apoio. Tinha apenas uma picape Mitsubishi L200 com motorista e um cinegrafista para registrar o dia a dia. Dormia na barraca, ao lado da motocicleta, e fazia sozinho toda a manutenção da moto: lavava, trocava pneu a cada três dias, em média, e ainda trocava os raios das rodas quando quebravam (veja vídeo acima). E ele se divertiu aos montes!

Costantini garante que gastou R$ 19.000,00 para participar do Sertões 2017, considerando que ele já tinha a moto. Ele gostou tanto que transformou a experiência em business para o ano que vem: ele fez uma parceria com uma empresa especializada em fornecer serviço de apoio em competições, a Bike Box, do experiente José Koizumi (o Avê), e vai oferecer a estrutura e logística para quem quiser realizar o sonho de correr um dos maiores eventos off-road do planeta de forma econômica.

O formato de uma categoria self não é novo no mundo, mas será desenvolvido no Brasil pela primeira vez justamente no Rally dos Sertões.

 

Sertões quer ampliar grid das categorias Regularidade e da Honda CRF 230F

Julio Zavatti, o Bissinho, foi campeão da categoria Honda CRF 230F e ficou em quarto na classificação geral: resultado excepcional. Foto: Vinícius Branca/Fotop

Além da categoria self, Marcos Moraes também quer ampliar a participação de pilotos das categorias Regularidade (carros), e para a categoria CRF 230F, moto fabricada pela Honda no Brasil e considerada extremamente resistente e de baixo custo de manutenção. Para se ter uma ideia do custo-benefício, esse ano o piloto Júlio Zavatti (conhecido como Bissinho), terminou o Sertões em quarto lugar na classificação Geral, vencida pelo sete vezes campeão, Jean Azevedo (com uma moto bem mais potente, uma Honda CRF 450X).

Inscrições do Rally dos Sertões 2018

Valores das inscrições do Rally dos Sertões 2018. Divulgação/Dunas Race

Na primeira fase (até dia 30 de novembro), a inscrição para a categoria Carros custará R$ 16.700,00. Depois passa para 19.540,00 e chega a R$ 21.490,00 na terceira e última fase, que será encerrada dia 1 de agosto.

As categorias Regularidade e CRF 230F poderão ser pagas em até 10 vezes sem juros e ainda com desconto especial no período promocional.

Janaína Souza fez a estreia em ralis e justamente no Rally dos Sertões. Foto: Fotop

Malles Moto no Rally Dakar

O Dakar, o maior rali do mundo, tem a categoria Malles Moto. Quando a prova era realizada no Deserto do Saara, na África, um avião russo Antonov levava várias caixas metálicas, sendo uma para cada piloto. Elas eram descarregadas e espalhadas em volta da aeronave.

O piloto chegava ao acampamento da competição no final do dia e ali, na caixa, tinham a barraca, o saco de dormir, algumas peças e as ferramentas básicas para a manutenção da moto. Cada competidor tinha ainda com rodas completas já montadas. O próprio piloto era o mecânico e ele não podia contar com apoio externo.

 

Categoria Malles Moto no Dakar: só o piloto pode mexer na moto. Foto: Dakar.com

Hoje, como o Dakar virou um shopping center (veja o que escrevi quando participei pela primeira vez na América do Sul, depois de várias experiências na África), as caixas dos pilotos são levadas em caminhões. Mas o formato e o conceito são os mesmos. Além da classificação geral, a categoria também tem uma premiação exclusiva.

*  Ricardo Ribeiro, paulista, 46 anos, é jornalista, louco por internet, tecnologia, fotografia e café (vinho também!). Já participou dos maiores ralis do mundo, como o Paris-Moscou-Ulan Bator-Pequim, entre França, Alemanha, Holanda, Finlândia, Rússia, Cazaquistão, Mongólia e China. Também cobriu quatro vezes o até então ‘Paris-Dakar’ no Marrocos, Mauritânia, Líbia, Egito, Tunísia, Mali, Burkina Faso e Senegal, na África. Já trabalhou na divulgação de mais de 10 edições do Rally dos Sertões, Enduro da Independência e Rally Cerapió/Piocerá, no Brasil. O conteúdo produzido por Ricardo Ribeiro foi amplamente divulgado pelos jornais O Estado S.Paulo e Jornal da Tarde, Agência Estado, Rádio Eldorado e pelos canais de TV ESPN Brasil, Band, Record e SBT, além de importantes revistas especializadas como Quatro Rodas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.