Ativistas pedem mais verbas para as energias limpas

João Coscelli

17 de junho de 2012 | 17h06

Cerca de 50 pessoas participaram na tarde deste domingo, 17, de um protesto nas areias da Praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, contra os subsídios destinados à produção de combustíveis fósseis, responsáveis pela poluição da atmosfera. Os ativistas, a maioria de ONGs internacionais, estenderam nas areias uma bandeira simbolizando uma nota no valor de US$ 1 trilhão.

“Esta é a quantia que os governos gastam, a cada ano, em subsídios para os combustíveis fósseis. Dizem que falta dinheiro para energia limpa. Então queremos que esse valor seja destinado à energia eólica e solar. O próprio G-20 já admitiu que é necessário reduzir os incentivos governamentais para os combustíveis que poluem o planeta. Então vamos aproveitar a Rio+20 para fazer isso acontecer”, disse o advogado Pedro Abramovay, membro da ONG Avaaz (de mobilização via internet), professor da Faculdade de Direito da FGV-Rio e ex-secretário Nacional Antidrogas da gestão Dilma Rousseff.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.