Atores lideram campanha do “apitaço” na Rio +20

emanuel

16 de junho de 2012 | 19h14

Bruno Deiro, no Rio

A atração mais concorrida deste sábado na Cúpula dos Povos, evento paralelo da Rio +20, foi uma manifestação de 11 organizações ambientais contra o novo Código Florestal, com a presença dos atores Marcos Palmeira e Victor Fasano. Depois de promover a campanha “Veta Tudo Dilma” para tentar barrar todas as alterações nas leis ambientais, as ONG’s lançaram o slogan “O jogo não acabou”, que incluiu a distribuição de 1800 apitos.

Nos próximos dias, os ativistas prometem promover protestos contra polítivos da bancada ruralista durante a conferência mundial no Rio. A ideia, segundo os organizadores, é que os participantes usem o apito “cada vez que uma mentira for contada pelos ruralistas”.

“Somos apenas uma gota d’água neste oceano, mas acredito muito no nosso trabalho de formiguinha”, afirmou Marcos Palmeiras. Durante o evento, os participantes entoaram gritos como “o código está um horror, mas o jogo não acabou.”

Victor Fasano mostrou confiança de que o apitaço dos ambientalista vai fazer a diferença. “Não conseguimos sensibilizar as pessoas o suficiente para vetar a mudança do Código. Temos de ampliar esta campanha”, lamentou.

A campanha anterior, que exigia o veto total da presidente Dilma Roussef às mudanças no Código Florestal, já havia conseguido a participação de pessoas famosas como a atriz Camila Pitanga e a modelo Gisele Bündchen.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: